SIGA O EM

Irmão de Suzane von Richthofen está entre usuários retirados da Cracolândia

O rapaz, que hoje tem 30 anos, teria sido encontrado por policiais militares enquanto tentava pular o portão de uma casa que ele dizia ser de seu tio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1125703, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'Andreas e Suzane von Richthofen no dia do enterro dos pais, em 2002', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/05/30/872951/20170530224654847147a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 30/05/2017 22:41

Correio Braziliense

Reprodução

Andreas Albert von Richthofen, irmão de Suzane — condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais — foi um dos usuários de crack encaminhados para o hospital, após uma ação da Prefeitura de São Paulo na região conhecida como Cracolândia. Ele foi levado para o Hospital do Campo Limpo, na zona sul da capital paulista, na madrugada desta terça-feira (30/5). As informações são do jornal O Globo.

O rapaz, que hoje tem 30 anos, teria sido encontrado por policiais militares enquanto tentava pular o portão de uma casa que ele dizia ser de seu tio. Quando chegou ao hospital, Andreas, que estava agitado, desorientado e agressivo, teria tentado se jogar de uma maca.

Ainda de acordo com a reportagem, Andreas chegou ao local com sintomas que indicavam o abuso de substâncias ilíticas. Ele estaria sujo, com vários ferimentos pelo corpo e demonstrava preocupação com uma medalhinha dourada, onde estava escrito o seu sobrenome, que ficou conhecido em todo o país após a barbárie cometida pela irmã. Há previsão de que o paciente fosse transferido para uma casa de tratamento de usuários de droga ainda nesta terça.
 
Andreas tinha apenas 15 anos em 2002, quando Suzane, com o auxílio do namorado Daniel e do cunhado Christian Cravinhos, assassinou o casal Manfred e Marísia Richthofen. Em 2015, já na cadeia, Suzane chegou a dizer que gostaria de se reaproximar do irmão. "Eu sei que causei muito mal. E queria que ele pudesse me perdoar e estivesse presente novamente", afirmou à época.

Depois da morte dos pais e da prisão da irmã, Andreas passou a ser o único herdeiro de Manfred e Marísia Richthofen. Após uma longa disputa, a Justiça decidiu que, até o rapaz completar 18 anos, os bens ficariam sob administração de seu tio, Miguel Abdalla.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
oswaldo
oswaldo - 31 de Maio às 07:37
Essa bandida tem de padecer no mármore do inferno. Pena que a justiça brasileira a vê como vítima. Desgracou a vida desse rapaz e aniquilou a vida dos pais de modo infernal.