SIGA O EM

Estrábica mira em mulher do ex-namorado e mata cliente por engano; ela nega o crime

Leonice Moreira de Souza é suspeita de matar José Paixão dos Santos, que não tinha qualquer ligação com a briga

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1123642, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/Facebook ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/05/19/870403/20170519185158982164u.JPEG', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 19/05/2017 18:38 / atualizado em 19/05/2017 18:54

Estado de Minas

Reprodução/Facebook

Leonice Moreira de Sousa, de 23 anos, foi presa depois de ter sido acusada de matar José Paixão dos Santos, de 59 anos, por engano, durante uma briga de bar, no Bairro Jardim Europa, em Goiânia. De acordo com o delegado responsável pelo caso, a jovem é estrábica e teria baixa visão. "Ela tentou matar uma mulher no bar por questões de ciúme, mas acertou um cliente que não tinha qualquer ligação com a história devido a esse problema”, disse Dannilo Proto. “Ela e o irmão foram buscar duas armas e voltaram atirando contra a mulher, que é a atual do ex-namorado de Leonice.

Ela não foi ferida, mas pelo problema de visão de Leonice, ela acabou atingindo um homem que estava há uns 20 metros do verdadeiro alvo dela”, explicou o delegado.

O crime aconteceu no dia 11 de março. O irmão da autora do disparo, Maico Douglas, de 26, também foi preso por envolvimento na morte de José Paixão. Leonice nega o crime e disse à polícia que não atirou contra a vítima. A jovem acusa o irmão de ter atirado. Ela foi presa no dia 28 de março.

Já o irmão foi preso no último dia 12. Ele confessou o crime e disse que a jovem não tem qualquer participação no assassinato. Porém, para a polícia, Leonice foi quem atirou contra José Paixão por acidente. “Pela dinâmica, pelas testemunhas que estavam no local e pela posição que nos relataram que a vítima e a suspeita estavam, tudo leva a crer que foi ela mesma quem atirou contra a vítima”, concluiu o delegado. Os dois responderão por homicídio qualificado. A pena pode variar de 12 a 30 anos.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600