SIGA O EM

Após cirurgia de 4h, jovem agredido no rosto por PM segue em estado grave

Mateus sofreu traumatismo cranioencefálico e múltiplas fraturas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1119796, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/Facebook', 'link': '', 'legenda': 'Mateus ( no detalhe) e deitado no ch\xe3o ap\xf3s sofrer agress\xe3o do policial militar durante manifesta\xe7\xe3o', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/04/30/866184/20170430222017904575u.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 30/04/2017 22:12

Correio Braziliense

Reprodução/Facebook

O estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás (UFG) Mateus Ferreira da Silva, 33 anos, segue em estado grave, segundo boletim médico expedido na tarde deste domingo. Mateus sofreu traumatismo cranioencefálico e múltiplas fraturas após ter sido atingido no rosto por um cassetete desferido por um policial militar durante manifestações na última sexta-feira (28/4) em Goiânia.

O golpe chegou a quebrar o cassetete, tamanho o impacto contra o rosto de Mateus. Na tarde de sábado (29/4), ele passou por uma cirurgia para reparação dos ossos do rosto de aproximadamente quatro horas. O universitário permanece internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado e entubado, no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Após o ocorrido, a universidade divulgou nota em repúdio à violência sofrida pelo estudante e comunicou que o reitor Orlando Amaral irá cobrar a apuração dos fatos e punição dos responsáveis da Secretaria de Segurança Pública.

"A UFG é histórica defensora do direito à livre manifestação e condena com veemência atos de repressão que venham a cercear esse princípio democrático." O comando da Polícia Militar de Goiás (PMGO) informou, por meio de nota, que condena todo e qualquer tipo de agressão praticada por policiais militares em exercício de sua função, não compactuando com atos que possam afrontar os princípios da ética, moral e legitimidade.

Veja boletim médico de Mateus Ferreira, publicado na tarde deste domingo


Nome paciente: Mateus Ferreira da Silva
Estado de saúde: grave. Paciente permanece internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado e entubado. Foi submetido a procedimentos cirúrgicos por aproximadamente quatro horas, na tarde de ontem (29), com as equipes de Neurocirurgia e Bucomaxilofacial para reparação dos ossos frontais. Até o momento, não há previsão de novas cirurgias.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Gilney
Gilney - 01 de Maio às 09:38
Triste e lamentável. Torço pela recuperação do rapaz e que sofra o menos possível nesta recuperação. Mas a nota da Universidade não diz a pura verdade. A policia já estava sendo agredida naquela momento por mascarados com pedras e bombas caseiras. O Mateus ingenuamente estava com um capus. A PM não foi para reprimir uma manifestação pacifica e democrática. Reprimiu uma violencia e nesta hora não se distribui flores e bilhetinhos de amor.
 
Nilson
Nilson - 01 de Maio às 09:15
Os Vândalos têm direito de colocar uma máscara e jogar bombas contra os policiais, mas os policiais não têm o direito de se defender. Só de estar mascarado já é crime. "O risco que corre o pau, corre o machado."
 
Alexandre
Alexandre - 01 de Maio às 02:24
A Universidade também deveria manifestar seu repudio a jovens que se "manifestam" mascarados e vandalizando o patrimônio de terceiros. Quem se esconde atrás de máscaras numa democracia não merece respeito.
 
Henrique
Henrique - 01 de Maio às 01:13
Absurdo!!! O criminoso fardado que cometeu essa tentativa de assassinato triplamente qualificado devia ser expulso da polícia, julgado e condenado!!