SIGA O EM

Homem mata ex-mulher a facadas após prisão por Lei Maria da Penha

Dayane Gianetty foi espancada até desmaiar e depois foi morta a golpes de faca. Antes de fugir, o criminoso ainda passou com o carro sobre o corpo da ex-mulher

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1118988, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/Facebook', 'link': '', 'legenda': 'Com medo das amea\xe7as de morte, Dayane j\xe1 havia deixado o emprego e se mudado', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/04/26/865214/20170426172450416875i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 26/04/2017 16:01 / atualizado em 26/04/2017 17:26

Agência Estado

Reprodução/Facebook

Preso nesta terça-feira, 25, em Barra Bonita, no interior de São Paulo, o desempregado Carlos Alexandre Messias, de 24 anos, que confessou ter matado a ex-mulher, Dayane Gianetty, de 27, porque ela o havia denunciado à polícia por agressões anteriores.

Messias já havia agredido várias vezes a mulher e foi preso quando tentava matá-la, na Rodovia Raposo Tavares, em Ipauçu. As denúncias, com base na Lei Maria da Penha, fizeram com que ele ficasse quatro meses na prisão. Assim que foi libertado, Messias decidiu se vingar.

No mesmo dia, ele foi atrás da mulher e a agrediu na frente dos dois filhos, mas parentes dela intervieram em defesa dela. A Justiça deu medida protetiva impedindo que o agressor se aproximasse a menos de 500 metros da ex-mulher.

Assassinato

Com medo das ameaças de morte, Dayane deixou o emprego de frentista e se mudou de casa com os dois filhos. De nada adiantou a medida protetiva dada pela Justiça. No dia 21 de março, Messias foi atrás da vítima e a localizou caminhando à margem do lago de um parque municipal.

Ele a obrigou a entrar no carro e dirigiu até um canavial, na rodovia que liga Ipauçu a Bernardino de Campos. Dayane foi espancada até desmaiar e depois foi morta a golpes de faca. Ele ainda passou com o carro sobre o corpo. Antes de fugir, o homem ligou para o pai, disse o que tinha feito e indicou onde estava o corpo da vítima.

A Justiça decretou a prisão temporária do suspeito - ele era procurado. Messias foi localizado pela Polícia Militar escondido na casa de uma tia. A Polícia Civil o autuou por feminicídio.

O autor do crime foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Thiago
Thiago - 27 de Abril às 11:07
Mais uma prova da incoerência dessa lei. Para quem é capaz de agredir e matar mulher um proibição de se aproximar vale alguma coisa? Fruto da imaginação dos nossos legisladores. E a pergunta que fica é o motivo do autor ter sido posto em liberdade.
 
geraldo
geraldo - 27 de Abril às 09:31
O Poder Judiciário vive de fantasia. Acredita que basta dizer para ficar 500 metros de distância e o verme atende.
 
JORGE
JORGE - 26 de Abril às 18:44
Venho dizendo sempre: Nesses casos em que a mulher é espancada pelo marido, a mulher ou o pai, irmão, tem que eliminar um lixo desse. Pois ele vai voltar para matar.