SIGA O EM

Vai-Vai celebra Paris na busca do bicampeonato

Com o samba-enredo "Je Suis Vai-Vai, bem-vindos à França", atual campeã do carnaval paulistano, celebra as belezas, a cultura e a liberdade de Paris

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 999248, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Nelson Almeida/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/07/732240/20160207091748243893o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 999249, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Nelson Almeida/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/07/732240/20160207091649786148e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 999250, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Nelson Almeida/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/07/732240/20160207091731234425a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 07/02/2016 07:25 / atualizado em 07/02/2016 11:34

Agência Estado

Nelson Almeida/AFP

Em uma época que a cidade mais visitada do mundo está no centro do noticiário internacional por causa de ameaças do terrorismo, a Vai-Vai, atual campeã do carnaval paulistano, celebra as belezas, a cultura e a liberdade de Paris.

O enredo passa pela história de Paris desde o período anterior à Revolução Francesa, em 1789, passando pela era napoleônica, a Belle Époque e a modernização da cidade. A letra tem trechos em francês e o título do samba-enredo que remete à campanha #JeSuisCharlie, que tomou conta das redes sociais em janeiro de 2015 quando 12 pessoas foram mortas em um ataque do grupo terrorista Estado Islâmico à revista satírica Charlie Hebdo.
Nelson Almeida/AFP

O objetivo da escola do bairro do Bixiga é encantar o Anhembi como em 2015, quando o enredo sobre Elis Regina foi o vencedor. Para isso, a agremiação fez parcerias com empresas francesas e o Consulado Geral da França no Brasil. A rainha de bateria é a atriz Camila Silva, que há sete anos está nesta posição. A Vai-Vai é uma das mais tradicionais escolas de samba de São Paulo, somando 15 primeiros-lugares.

DESFILE
O embaixador do país europeu no Brasil, Laurent Bili, além do cônsul e da consulesa, Damian e Alexandra Loras, acompanharam a festa. O casal inclusive desfilou na Vai-Vai, entrou na avenida pouco antes das 3h da madrugada.

Damian destacou a oportunidade para o seu país democratizar a imagem e acessar a população brasileira de forma mais ampla. "Para a França, poder participar com a Vai-Vai desse evento é uma alegria, sem dúvida, e uma oportunidade enorme para divulgar, destacar a França, para um público mais amplo que a elite brasileira, que normalmente é o público da França. É uma oportunidade de democratizar a França no Brasil."

O cônsul, que participou da elaboração do desfile da escola ao longo do ano juntamente com sua esposa, inclusive com organização de visitas de integrantes da Vai-Vai à França, afirmou que a participação no desfile pode aproximar os dois países e quebrar clichês ligados à imagem da França. "O desfile é um cartão postal da França. Esperamos com isso levar mais brasileiros a viajar para a França. O desfile também pode mostrar que há muitos pontos em comum entre França e Brasil. Temos índios, a França é também um país de miscigenação, mistura, não somos só 'branquinhos' nem só o clichê da moda, do luxo, temos também uma França moderna, inovadora."

A escola, vencedora do carnaval de 2015, levou à avenida também uma homenagem às vítimas dos atentados terroristas do ano passado, com alegorias e fantasias que fazem referência ao ataque à sede do semanário Charlie Hebdo, em 7 de janeiro, e à série de ataques nas ruas e bares parisienses na noite de 13 de novembro. "Todo esse desfile da Vai-Vai é uma maneira de apoiar a França, apoiar os valores comuns de liberdade, igualdade e fraternidade. Então esse desfile, os carros alegóricos, as fantasias vão ter uma parte importante dessa memória dos atentados. É uma maneira de dizer não ao terrorismo", afirmou Damian.

O cônsul se preparou para fazer a abertura na avenida, mas diz que a escola não poderá contar com suas habilidades no samba. "Não sei sambar, vou só abrir o desfile, espero que não tenha que sambar, se não vamos perder", brincou.

Já sua esposa, a consulesa Alexandra Damian, diz já ter acompanhado várias vezes o carnaval no Rio e em São Paulo e estar preparada para sambar. "Tenho samba no pé", afirmou confiante. Ela relata adorar o Brasil, tanto que o casal pediu uma extensão de um ano após passado o período regular de três anos da representação no País.

"Acho incrível quando as pessoas falam que o carnaval do Rio é 10 mil vezes melhor, eu não concordo. Acho que o carnaval de São Paulo é maravilhoso também e fico triste quando escuto de pessoas de São Paulo que nunca foram ver o seu carnaval", disse a consulesa.

Assim como seu marido, Alexandra falou da emoção da homenagem à França após um 2015 que o País foi marcado por terríveis atentados. "Depois do que aconteceu no ano passado, em janeiro e em novembro, é muito forte para mim emocionalmente ver que a Vai-Vai, campeã do ano passado, homenageia a França. Vou desfilar e vou dar meu melhor, vai que vai, somos Vai-Vai, vamos ganhar."

Alexandra também se emocionou ao dizer que o carnaval brasileiro é uma festa impressionante, impecável em termos de produção, e feita pela população chamada de "carente". Ela disse que a festa mostra que o Brasil é resiliente, otimista e tem tudo para figurar entre as potências mundiais. "Quando vejo essa produção, que é a maior produção de criatividade, sai na hora, tudo cronometrado, impecável, tudo dá certo, e é feito por essas pessoas que chamamos de 'carentes', por essa população que ganha menos de R$ 2 mil por mês, num país de desigualdade econômica enorme. Quando vejo essa produção, tenho muita fé no Brasil."

Samba-enredo: "Je Suis Vai-Vai, bem-vindos à França"

Nelson Almeida/AFP

Mon Amour

A voz do povo é quem diz

Sou raça sou raiz

Há tantos carnavais

Je Suis Vai Vai (Eu sou Criolé…)

Nas cores da França feliz

Eu viajei

Na luz sedução de Paris

Me encantei

Das lendas à Revolução

De Luizes a Napoleão

Liberdade, igualdade, fraternidade

O grito do povo ecoou

Exaltei em samba a capital da moda

A torre Eiffel é majestosa

No Louvre obras imortais

Doce Perfume no ar envolve avenida

Salve a Belle Époque e seus musicais

As danças nos cabarés, sabores, orgia

Loucura verde pra brincar o carnaval (ôôô)

Laço de amor uniu duas nações

Garraux virou paixão, virou mania

Alan Kardec é luz e encanto

É energia em preto e branco

Arte moderna, pauliceia desvairada

E champagne pra comemorar

(vem brindar amor…)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600