Bando foge de lancha após assalto a carro-forte

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 04/09/2014 20:07 / atualizado em 05/09/2014 08:24

Agência Estado

A polícia faz uma grande operação na divisa entre São Paulo e Mato Grosso do Sul à procura de uma quadrilha com pelo menos oito homens que assaltaram nesta quinta-feira, 04, um carro-forte da Protege na rodovia Marechal Rondon (SP-300), próximo ao pedágio de Castilho (SP), e depois de usar fuzis, metralhadora antiaérea e bombas, fugiram usando uma lancha pelo rio Paraná.

Os bandidos pararam o carro-forte e renderam os funcionários da Protege usando fuzis e uma metralhadora antiaérea ponto 50 e depois detonaram bombas para abrir o cofre onde estavam os malotes com dinheiro. Policiais que participaram das buscas estimam que havia cerca de R$ 5 milhões nos malotes que eram levados de Araçatuba (SP) para abastecer os bancos de Três Lagoas (MS). A Protege emitiu nota, informando que seus funcionários não sofreram ferimentos e que, a pedido da polícia, não poderia dar maiores informações sobre o assalto.

O assalto ocorreu pela manhã, quando os bandidos, que ocupavam uma Land Rover, uma camionete Chevrolet S-10 e uma picape Fiat Strada, dispararam de fuzis e de metralhadora contra o carro-forte, obrigando os seguranças e motoristas a se deitarem no acostamento da rodovia, na altura do km 655 da SP-300. "Eles tentaram abrir o cofre com pé-de-cabra, mas como não conseguiram usaram bombas", contou um PM que participou das buscas.

Depois do assalto, os bandidos fugiram em sentido à rodovia Gerson Dourado de Oliveira (SP-595), a rodovia dos Barrageiros, em sentido ao município de Itapura. Um suspeito foi detido quando tentava se apossar de uma arma deixada pelos bandidos. Durante as buscas, o helicóptero Águia da PM chegou a visualizar o bando, que teria deixado os carros em uma mata, no município de Itapura, e fugido com uma lancha pelo rio Paraná.

A polícia apreendeu os veículos deixados na mata, mas uma adaptação feita na Land Rover, blindada e com vidros à prova de bala, chamou a atenção: no lugar dos bancos traseiros havia uma tábua, onde os bandidos teriam colocado a metralhadora, cujo cano transpassava para fora através de um buraco no vidro traseiros. Segundo os PMs, o objetivo era disparar para trás em uma possível perseguição. No local, os policiais encontraram embalagem de um malote rasgada com a inscrição de R$ 500 mil. Por isso, os policiais estimam que nos malotes levados pelos bandidos havia mais de R$ 5 milhões.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.