Polícia prende envolvido na morte de empresária no Rio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 24/08/2014 18:13 / atualizado em 24/08/2014 19:52

Agência Estado

Rio de Janeiro, 24 - O quarto envolvido no latrocínio que terminou com a morte da empresária Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas, a Tintim, foi preso por agentes do 3º Batalhão de Polícia Militar (Méier) na noite desse sábado, 24. Klaus Kischkel Júnior, de 25 anos, conhecido como Júnior Playboy, foi preso quando saía de um supermercado na Rua João Ribeiro, no bairro de Pilares, na zona norte.

Ele foi reconhecido por um transeunte que o descreveu para os policiais que patrulhavam o local - a tatuagem no braço chamou a atenção. O criminoso não resistiu à prisão e foi levado para a 25ª Delegacia de Polícia (Engenho Novo, zona norte). Lá, o delegado constatou que havia um mandado de prisão contra ele.

Júnior Playboy foi encaminhado para a Divisão de Homicídios da Capital (DH/Capital), na Barra da Tijuca, zona oeste, onde ficou detido. Apontado como mentor do crime, Wendel dos Santos Gomes, de 34 anos, conhecido como Negão, ainda está foragido.

Memória

Tintim, que era uma das sócias do restaurante Guimas, na Gávea, zona sul do Rio, foi morta com um tiro à queima roupa na cabeça depois de sacar R$ 12 mil em uma agência bancária próxima ao restaurante. Ela foi uma vítima aleatória do crime conhecido como saidinha de banco, em 17 de julho.

No dia 8 de agosto, policiais da DH apresentaram três dos cinco envolvidos no crime: são ele, Vitor Brunizzio Teixeira, de 25 anos, conhecido como Ganso; Jardel Wanderson de Oliveira Vilas Boas, de 28, e Marcos Vinicius do Nascimento Bonfim, de 21.

Autor do disparo, Jardel disse que estava arrependido do crime. "Estou arrependido. Se arrependimento matasse não estaria aqui hoje".
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.