Dois presos são decapitados durante rebelião em presídio do Paraná

Outras quatro pessoas ficaram feridas. Entre os reféns estão dois agentes penitenciários e seis detentos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 24/08/2014 17:12 / atualizado em 24/08/2014 17:16

Cristiane Silva

Dois presos foram decapitados na Penitenciária Estadual de Cascavel, Região Oeste do estado do Paraná, onde os detentos fazem uma rebelião desde as 7h deste domingo. Outras quatro pessoas ficaram feridas. A unidade prisional está cercada por policiais militares, que isolaram o local. Parentes de presos e equipes de reportagem permanecem no entorno.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Justiça do Paraná, a penitenciária – de regime fechado - tem 1.182 vagas e abriga, atualmente, 1.040 detentos. O local é de responsabilidade do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen). A rebelião aconteceu pouco antes do horário das visitas, programadas para as 8h30, e 60% da unidade foi dominada pelos presos.

Usando camisas e pedaços de tecido para cobrir o rosto, eles subiram no telhado do pavilhão e levaram um grupo de reféns. Entre eles, estão dois agentes penitenciários e outros seis detentos. Conforme a Secretaria de Justiça, ainda não há identificação dos mortos, mas a suspeita é de que um deles possa ser um policial civil que estava preso por envolvimento em um esquema de desmanche de veículos. Três dos feridos foram socorridos para o hospital local após terem sido lançados de uma altura de 15 metros pelos presos, para o lado de fora da unidade.

Os presos estariam reivindicando melhorias estruturais, alimentação, relaxamento nas visitas, entre outras questões. No entanto, a Secretaria de Justiça afirma que as causas do motim ainda não foram totalmente esclarecidas, e a possibilidade de a rebelião ter relação com uma disputa entre facções criminosas não é descartada.

Nesta tarde, a secretária de Justiça do Paraná, Maria Tereza Uille Gomes, juntamente com um juiz de Cascavel, foram ao local para comandar as negociações. Ainda segundo a Secretaria, a última rebelião com morte registrada no Paraná aconteceu em 2010.
Tags: