21°/ 29°
Belo Horizonte,
30/AGO/2014
  • (10) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Professor tem que dar aula sobre Revolução Francesa para não ser linchado em SP Vítima saiu de casa para correr e foi abordado por um grupo de 15 pessoas. O homem conta que teve os braços e as pernas acorrentados.

Agência Estado

Estado de Minas

Publicação: 02/07/2014 08:44 Atualização: 02/07/2014 08:53

O professor de história André Luiz Ribeiro, de 27 anos, foi espancado na região de Parelheiros, em São Paulo, na última quarta-feira, 25, após ter sido acusado de roubar um bar. Segundo a vítima, um grupo de mais de 15 pessoas o agrediu por tê-lo confundido com um assaltante enquanto praticava cooper na região.

Atendido pelo Corpo de Bombeiros, Ribeiro alega que os militares não acreditaram que ele é professor e pediram para o homem comentar sobre a Revolução Francesa. "Tive de falar da ascensão da burguesia na França, da queda da Bastilha em 1789 e das diferentes fases da revolução para que eles acreditassem", conta.

Segundo a corporação, as equipes que passavam no local evitaram o linchamento e prestaram os primeiros socorros. "Em nenhum momento houve desrespeito ou deboche na ação dos bombeiros".

André Luiz Ribeiro foi indiciado por roubo e passou dois dias presos antes de conseguir na Justiça a liberdade provisória.

Contra as agressões e o indiciamento, amigos, alunos e familiares realizaram um ato nessa terça-feira, em frente ao 101º DP (Jardim Embuais). Na internet, mais de 130 pessoas compartilharam a foto de perfil do professor que mostra o rosto com hematomas após a tentativa de linchamento.

Ribeiro conta por volta das 19h da última quarta-feira saiu de casa para correr, como costuma fazer todos os dias, e ao passar pela Rua João Batista Gomes Ciqueira, em Balneário São José, notou olhares estranhos, mas decidiu continuar o exercício. "De repente veio um carro na minha direção. Levantei as mãos na mesma hora achando que se tratava de um assalto, mas sem entender nada. Foi quando o dono do bar que tinha sido roubado e seu filho saíram do veículo e começaram a me agredir", disse Ribeiro.

O professor teve os braços e as pernas acorrentados e conta que levou chutes e socos pelo corpo. "Eu não tive tempo de dizer nada. Vieram mais de 15 pessoas, até mesmo mulheres. Foram muitas agressões até que chegaram os bombeiros e dispersaram os moradores. Ainda bem, porque ouvi alguém dizer 'pega o facão'", relatou.

A Polícia Militar chegou em seguida e, diante da afirmação do dono do bar de que se tratava de um dos três criminosos que haviam roubado R$ 480 do estabelecimento, encaminharam Ribeiro ao 101º DP (Jardim Embuias), onde ele foi indiciado por roubo. Antes, o professor foi levado ao pronto-socorro. "Dormi uma noite neste DP, dividindo a cela com outro preso, apesar de ter curso superior. Só no outro dia que fui levado para outra delegacia, onde dormi em uma cela sozinho antes de conseguir a liberdade provisória", contou.

Procedimento


Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) disse que o professor foi preso em flagrante "em cumprimento do artigo 302 do Código Penal, já que a vítima o reconheceu como um dos participantes do roubo ao estabelecimento comercial em duas oportunidades" e que a polícia não pode identificar quem bateu no professor porque as pessoas se dispersaram com a chegada da viatura. Ainda de acordo com a SSP, o delegado André Antiqueira, titular do 101º DP, "se coloca à disposição para ouvir em depoimento quem tenha novas informações para acrescentar à investigação".

Nesta quarta-feira, Ribeiro vai registrar boletim de ocorrência por tentativa de homicídio por parte do dono do bar, identificado como Djalma dos Anjos Nonato. "Eu via esse tipo de caso nos jornais e na TV, mas a gente nunca acha que vai acontecer conosco. A dor que fica é a psicológica. Tive muito medo de ficar preso por meses e não conseguir dar aula", disse Ribeiro. A reportagem não conseguiu contato com Nonato.

Esta matéria tem: (10) comentários

Autor: SERGIO DOURADO
E qtos policiais sabiam o q foi a Revolução Francesa,gente... ? kkkk Isso é piada,chacota c a vítima ... E quem teria mente pra falar sobre qualquer coisa a beira de um linchamento!? Esse país é uma terra de ninguém ou das máfias no poder,mais nada,está entregue ao Deus dará... | Denuncie |

Autor: SERGIO DOURADO
Já trucidaram uma inocente aí e ainda acham q são "justiceiros"...? Vai lá em Brasília q tem um monte pior q esses daí.. Quero vêr a "sede" desse povo lá... kkkk Toma chumbo na primeira mão levantada.. | Denuncie |

Autor: SERGIO DOURADO
Barbárie... E está aí o resultado das "instituições sólidas" do país... Sólida é corrupção, a prevaricação e a subserviência às máfias... | Denuncie |

Autor: SERGIO DOURADO
País se entrega à barbárie.. | Denuncie |

Autor: André Rocha
Pois é, ai vem aqueles jornais locais de5ªcategoria com aqueles apresentadores idiotas falando que nao tem justiça que o cidadao tem razao de fazer justiça com as maos, que policia prende e justiça solta e blá,blá. Ta aí o resultado.A midia faz o povo ficar burro e quem sofre são os bem informados. | Denuncie |

Autor: Marcio Correa Filho
E só vai piorar... quanto mais impunidade.. Poir fica a população... Mais e mais revoltada e esses casos se tornarão mais frequentes... sinto muito... Mas alguns sofrerão as consequeências. | Denuncie |

Autor: Robson Silva
Para os que entendem quem faz justiça com as próprias mãos, tá aí. Pra fazer justiça não basta força, tem que ter Q.I! Pra escapar dela também! | Denuncie |

Autor: Devanir Miranda
Isto é um dos milhares de problemas que os cidadãos de bem estão sujeitos por morar em um País sem Lei. A justiça aqui é cega, surda, muda e principalmente "burra"! Somos refém da justiça! Vai ficar por isso mesmo! | Denuncie |

Autor: Paulo Martins
Lamentável! Inocente dos crimes e ter que passar por isto. Gente estúpida e covarde! Agora devem estar escondidas em suas casas iguais ratos... | Denuncie |

Autor: Paulo Martins
Quem é a favor e arrisca participar de linchamentos um dia ainda poderá ficar com sangue inocente nas mãos e em sua consciência, se é que tem uma, pois este ato não é coisa de gente decente não. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.