Manifestantes fazem ato em SP contra prisão de ativistas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 01/07/2014 20:49

Agência Estado

São Paulo, 01 - O segundo ato contra as prisões do estudante Fábio Hideki e do professor Rafael Lusvarghi reúne centenas de militantes de diversos grupos ativistas. Eles assistem a uma mesa de discussão entre jornalistas, escritores e professores que ocorre na Praça Roosevelt, no centro de São Paulo. Também participam do ato membros do Sindicato dos Metroviários. Por volta das 20h20 desta terça-feira, dia 1º, a polícia disparou bombas de gás lacrimogêneo na praça após princípio de tumulto com um manifestante que foi revistado.

Os manifestantes informaram no microfone que, durante a atividade, dois advogados ativistas foram detidos e encaminhados ao 4º DP. Eles estariam observando o trabalho da PM no local quando houve um tumulto. A polícia cerca neste momento a Praça Roosevelt com a Tropa de Choque, a Cavalaria e a Força Tática. Há forte presença policial. Os agentes fizeram revista em alguns dos presentes no início do ato.

Entre os participantes da mesa de discussão estão os professores Pablo Ortelado, Esther Solano, Jorge Souto Maior e Maria Rita Kehl. Eles discursam aos manifestantes desde as 19h. O professor de filosofia Edson Teles, da Unifesp, critica a forte presença policial no ato. "Estamos em uma democracia autoritária, que não quer ouvir as ruas", afirmou Teles. "Pela libertação imediata de Fábio e outros presos políticos no Brasil", completou.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.