SP: Ouvidoria pede investigação de policial civil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 25/06/2014 21:19

Agência Estado

São Paulo, 25 - A Ouvidoria das Polícias do Estado de São Paulo pediu para que o policial que atirou para cima, no fim do protesto de segunda-feira na Avenida Paulista, seja investigado pela Corregedoria da Polícia Civil. O órgão encaminhou um ofício para a Secretaria de Estado de Segurança Pública.

“Ele (o policial) correu o risco de produzir um resultado. Se houvesse uma morte, poderia ser denunciado por crime doloso”, afirmou o ouvidor Júlio César Fernandes Neves. Segundo ele, a punição ao policial é necessária para que outros agentes do Estado não sejam incentivados a fazer o mesmo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta quarta-feira, 25 durante uma coletiva, que não houve erro do policial. Segundo ele, o disparo foi de “alerta”. Até a noite de ontem, os dois manifestantes presos no ato, acusados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública de serem black blocs, continuavam detidos. A Defensoria Pública pediu a libertação da dupla. O Ministério Público foi contrário. Nesta quinta-feira, ativistas vão protestar no Masp contra as prisões.

Questionado sobre os acusados, o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira disse ontem, durante a divulgação de estatísticas de criminalidade, que lhe parece que “a resposta é essa, é o rigor da lei”. “Respeito a opinião de todos, mas o delegado tem a liberdade de capitular de acordo com o convencimento dele diante das provas colhidas.”
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.