Ponte estaiada no campus da UFRJ está no escuro há 50 dias por causa de tiro

Força da Pacificação da favela da Maré havia se comprometido a fazer conserto por bem público ter sido estragado durante tiroteio com traficantes da região

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 13/06/2014 15:15 / atualizado em 13/06/2014 15:28

Agência Brasil

Marcelo Horn/Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Estado do Rio de Janeiro

Depois de quatro meses com iluminação especial, a Ponte do Saber, primeira ponte estaiada do Rio de Janeiro, que liga a Ilha do Fundão à Linha Vermelha, zona norte, está no escuro há quase dois meses. O apagão foi causado por um tiro durante confronto entre militares da Força de Pacificação da Maré e traficantes da comunidade, em frente ao campus da Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, no dia 21 de abril desse ano.

Embora a iluminação seja de responsabilidade da prefeitura da UFRJ, o comando da Força de Pacificação da Maré se prontificou a arcar com o conserto, visto que os tiros que danificaram o sistema de energia elétrica da estrutura tinham como alvo os militares que ocuparam a ponte para ação. O comando informou que no mesmo dia informou ao prefeito do campus da UFRJ, Ivan Carmo, sobre o incidente, e que apenas aguarda o orçamento da empresa técnica responsável para que seja realizado o reparo da central de controle de iluminação da ponte.

O comando da Força de Pacificação garantiu que após o fato ocorrido no dia 21 abril não foram registrados quaisquer outros incidentes similares e a segurança no campus da UFRJ teve sua normalidade garantida.

Ao todo, 496 lâmpadas de LED criavam um efeito de movimento na luz como se fosse uma harpa. Inaugurada em 2011, a ponte custou R$ 62 milhões e foi financiada pela Petrobras, devido a derramamento de óleo ocorrido em 2000, na Baía de Guanabara.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.