Justiça proíbe balada em clube tradicional de São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 06/06/2014 16:19

Agência Estado

São Paulo, 06 - A Justiça barrou uma balada para adolescentes em um clube tradicional na zona sul de São Paulo, depois que pais reclamaram de menores de idade que tinham "conduta sexual inapropriada" e consumiam álcool no local. A festa ocorreria no sábado, 31, no Clube Paineiras do Morumby, frequentado por famílias de classe média e alta.

A promotora de Justiça Luciana Bergamo Tchorbadjian, da Promotoria de Justiça de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos da Infância e da Juventude da Capital, que entrou com a ação, diz que não é a primeira vez que é marcado no local esse tipo de matinê, evento que depende de autorização de um juiz da Vara da Infância e Juventude. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), a festa "Special Night" não tinha alvará.

Um pai, que não era sócio do Paineiras, contou ao MPE que levou o filho a uma festa e notou a presença de menores de 12 anos de idade, com relatos de condutas sexualmente inadequadas. Ele disse que não pôde entrar na festa, porque maiores de idade não eram permitidos.

O juiz Juscelino Batista, que concedeu a liminar (decisão provisória), afirmou que "existem sérios indícios de ocorrência de situação de risco aos adolescentes que vêm frequentando o local, com ingestão de bebida alcoólica, uso de drogas, não se sabendo da adequação das condições das instalações e segurança no local".

Procurado, o Paineiras do Morumby declarou em nota que o evento "Balada", programado para 31 de maio, não foi realizado por determinação judicial, "decorrente de infundadas alegações transmitidas ao Ministério Público, as quais serão devidamente apuradas nos autos".

O clube disse ainda que "prestará as informações solicitadas e demonstrará, em juízo, que todas as medidas de sua competência, que garantem a segurança dos menores no evento, são realizadas no estrito cumprimento da legislação em vigor".
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.