13°/ 22°
Belo Horizonte,
25/JUL/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

MTST faz passeata até o Itaquerão para pedir moradia em São Paulo

Agência Brasil

Publicação: 05/06/2014 07:30 Atualização:

Marcha do MTST protesta contra gastos na Copa e exige moradia para a população (REUTERS/Nacho Doce)
Marcha do MTST protesta contra gastos na Copa e exige moradia para a população

Cerca de 12 mil pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participaram do protesto organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) na noite desta quarta-feira (4), na capital paulista. Para os manifestantes, o Poder Público gastou demais com a realização da Copa do Mundo, em detrimento dos investimentos em habitação. A passeata percorreu a Avenida Radial Leste, desde a Estação Vila Matilde, do metrô, até a a Arena Corinthians, o Itaquerão, onde ocorrerá a abertura do Mundial, no próximo dia 12.

De acordo com o coordenador do MTST, Guilherme Boulos, a intenção é mostrar que o movimento está disposto a continuar com as mobilizações contra a Copa, caso não haja resposta concreta às reivindicações. “Nós queremos mostrar para quem desacreditava, para os governos, que a gente sabe o caminho [para o Itaquerão], se as nossas reivindicações permanecerem na geladeira, no dia do jogo vai ter muita gente sem ingresso querendo entrar também.”

Boulos ressaltou que o movimento está disposto a fazer atos públicos durante o evento, mesmo que haja repressão policial. “Não adianta colocar na televisão que vai ter Exército, que vai ter polícia na rua, porque polícia e o Exército não são nada para o povo organizado”, disse ele, mas ponderou, no entanto, que os sem-teto não buscam o conflito, e têm “insistentemente” buscado saídas negociadas.

Ao encerrar o ato, ele acenou com a possibilidade de novo protesto em frente ao estádio do Morumbi, zona sul, durante o amistoso entre Brasil e Sérvia, caso não haja uma resposta positiva à pauta do movimento. “Se até sexta-feira (6) não tivermos resposta para nossas reivindicações, não sei se a torcida vai conseguir chegar ao Morumbi”, disse do alto do carro de som.

Entre as demandas citadas por Boulos está a desapropriação da área da ocupação Copa do Povo, distante 4 quilômetros do Itaquerão, e a aprovação do plano diretor pela Câmara Municipal de São Paulo. O MTST quer que a criação de novas zonas especiais de interesse social (Zeis) para construção de moradias populares seja incluída na proposta.

A possibilidade de confronto com a polícia em novas manifestações não assusta Jaqueline dos Santos. Caixa em uma loja de departamentos, ela veio de Embu das Artes, Grande São Paulo, para participar do ato de hoje. “A gente vai lutar pelos nossos objetivos, nem que tenha que passar por cima da polícia”, declarou.

O pintor Renato de Paula ressaltou que não estava se manifestando contra o Mundial, mas pela falta de prioridade a setores essenciais, como habitação, transporte e saúde. “O problema não é a Copa. O problema é o investimento errado com dinheiro público”.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: sebastião costa
Sr. Guilherme boubos; usa o dinheiro recebido do governo, para comprar moradia. A quantia que vocês recebem, dá para comprar pelo menos 5o unidades por mês. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.