Polícia prende 12 pessoas e recolhe drogas que renderiam mais de R$1 milhão

Grupo já era investigado há seis meses. Traficantes aumentavam o ritmo para suprir demanda durante a Copa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/06/2014 13:34 / atualizado em 02/06/2014 18:28

Correio Braziliense

Divulgação/Cord

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu 12 pessoas e apreendeu cerca de 630 kg de maconha, 4kg de cocaína escama de peixe, uma pistola 9 mm de uso da Polícia Federal e 10 veículos. As apreensões ocorreram durante três operações da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord), que duraram dois dias. A droga apreendida renderia mais de R$ 1 milhão.

A primeira apreensão foi na sexta-feira (30/5), no Lago Oeste, em Sobradinho, onde foram recolhidos 530 kg de maconha. O grupo era investigado há seis meses. O principal suspeito preso foi identificado como Claudio Ferreira Paiva, 38 anos, também conhecido como Cláudio Ceará. Ele era o principal traficante de maconha do Distrito Federal. O entorpecente estava escondido nos quartos de uma chácara. Um caseiro foi preso em Sobradinho e os outros três traficantes no Areal.

Na manhã de sábado (31/5), a Cord, com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, apreendeu 4 kg de cocaína na BR-060. À noite, os policiais apreenderam na mesma rodovia mais de 100 kg de maconha, também com a ajuda da PRF. Durante os dois dias de operação, 15 carros foram apreendidos. Quatro deles na chácara no Lago Oeste, oito em galpão do areal e três na BR-060.

Durante os dois dias de operação, 15 veículos foram apreendidos, entre eles uma kombi e um guincho. Quatro deles na chácara no Lago Oeste, oito em galpão do areal e três na BR-060.

Segundo o delegado Rodrigo Bonach, chefe da Cord, a droga seria vendida rapidamente em todo o DF e também no Nordeste. "O período da Copa tem uma grande demanda. Notamos que os traficantes estão atuando de forma frenética", disse.

Com informações de Kelly Almeida

Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.