• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Lideranças acusam a PM de descumprir acordo feito antes de protesto em Brasília

Correio Braziliense

Publicação: 29/05/2014 11:36 Atualização:

As lideranças dos movimentos que participaram do protesto contra a Copa do Mundo, nesta terça-feira (27/5), acusaram os policiais de terem descumprido o acordo dos limites de até onde o protesto poderia chegar, o que causou o início dos confrontos.

Segundo os representantes do Comitê Popular contra a Copa do Mundo, o Juntos, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e dos indígenas, o acordo com o comando da corporação era de que eles não poderiam chegar próximo à cerca envolta da tenda que abriga a taça da Fifa. No entanto, a cavalaria fazia um cordão de isolamento no semáforo próximo à Torre de TV, a pelo menos 700 metros do local combinado, o Estádio Mané Garrincha.

Em contrapartida, o chefe operacional da Polícia Militar, coronel Jailson, disse ao Correio que em momento algum foi definido o limite de até onde o protesto poderia chegar. Segundo o coronel, o limite é onde se encontra a tropa e ela estava a 200 metros do estádio, e não 700 como foi dito na coletiva.

Os indígenas, que estavam à frente, continuaram a dançar os rituais, o que provavelmente assustou os cavalos e nesse momento, segundo eles, foram disparadas as bombas de gás lacrimogênio, e por isso, atiraram flechas contra os policiais.

Os índios disseram que estavam armados com arcos, flechas e bordunas - cassetetes de madeira - porque faz parte da cultura deles. "Fazem parte da cultura indígena e estão presentes em todos os rituais do cotidiano". No momento, eles faziam um ritual para que 'as entidades' os protegessem.

A liderança do Comitê Popular contra a Copa do Mundo prometeu novos protestos durante todos os jogos do Mundial. Uma nova manifestação está marcada esta sexta-feira (30/5). "Vamos terminar o que não conseguimos fazer: chegar ao estádio" Esta não terá a participação dos índios, que vão embora de Brasília nesta quinta-feira (28/5).

Os indígenas vieram para Brasília para pedir pelos direitos territoriais de seus tribos e informaram que a luta deles continua nas tribos das cidades de cada grupo.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.