13°/ 24°
Belo Horizonte,
24/JUL/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PM vai reprimir bloqueio no Itaquerão

Agência Estado

Publicação: 28/05/2014 21:01 Atualização:

São Paulo, 28 - Manifestantes que tentarem bloquear o acesso de torcedores à Arena Corinthians, na zona leste de São Paulo, durante a Copa do Mundo, serão reprimidos pela Polícia Militar. Segundo o coronel Wagner Tardelli, responsável pelo Comando de Policiamento da Copa (CPCopa), a ordem é “garantir o direito constitucional à manifestação”, mas também “garantir o direito de ir e vir dos torcedores” que vão aos jogos. “Especificamente em Itaquera, estamos fazendo um sistema de segurança na Arena Corinthians com o 1.º e o 2.º Batalhões do CPCopa. Existe toda uma estrutura já planejada para evitar fatos como pessoas contrárias (à Copa), que queiram descumprir a lei, se aproximar do estádio. Precisamos também garantir o direito da outra parte, de quem quer ver o jogo. O papel da polícia é garantir o equilíbrio”, disse o coronel. O CPCopa tem 4.500 policiais.

“Se a manifestação violar o direito da pessoa de ir e vir, ela rompeu a legalidade. É quando a polícia vai agir”, afirmou Tardelli. Ao ser questionado sobre eventual uso de bombas e balas de borracha, ele respondeu: “Vamos usar o que for necessário para que o policial esteja seguro. Se for necessário, usaremos a força”. Apesar de a Polícia Militar ter criado o CPCopa especificamente para garantir a segurança do Mundial, serão os destacamentos tradicionais, como a Força Tática dos batalhões de cada bairro e a Tropa de Choque, que estarão de prontidão para lidar com manifestações consideradas violentas.

O chamado pelotão “ninja”, formado por policiais com conhecimentos de artes marciais para enfrentamento, sem armas, de manifestantes violentos, também será usado. “Se houver necessidade, serão encaminhados. É uma tática de sucesso que tem conseguido conter os manifestantes de forma bastante eficaz”, disse Tardelli.

Essas equipes serão convocadas, se necessário, pelos comandantes do CPCopa. O comando estará em contato com o centro de monitoramento, coordenado em São Paulo por um delegado da Polícia Federal. O CPCopa é dividido em três batalhões. Um cuidará da segurança dos estádios e centros de treinamento. Outro será responsável pelos oito hotéis usados pela Fifa para delegações estrangeiras e convidados VIP, Aeroporto de Guarulhos e pontos turísticos. O terceiro fará a segurança das festas públicas.

Festas.

Segundo o tenente-coronel Érico Hammersmith Júnior, que protegerá os espaços públicos, o acesso à Fan Fest - festa da Fifa realizada no Vale do Anhangabaú, no centro, em dia de jogos - será feito por catracas eletrônicas, apesar de o evento ser gratuito. O motivo é controlar e contar o acesso de torcedores. “O ingresso é livre, mas todos serão submetidos a uma revista pessoal e das mochilas. Qualquer objeto que possa pôr em risco a integridade física será barrado, como tesouras, facas, objetos pontiagudos e garrafas.” A capacidade do evento será para 50 mil pessoas.

Geopolítica.

A delegação dos Estados Unidos, que ficará no Hotel Tivoli Mofarrej, na Alameda Santos, terá um esquema especial, com proteção sendo feita também pelo Exército. O detalhes do plano serão decididos na semana que vem com a cúpula da segurança da Copa.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.