Críticas ao Mais Médicos envolvem questão política, diz ministro do Trabalho

Manoel Dias responde a parlamentares que a fiscalização do programa é competência dos ministérios da Educação e Saúde, não do ministério do Trabalho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 07/05/2014 17:56 / atualizado em 07/05/2014 19:20

Agência Brasil

Antônio Cruz/Agência Brasil
O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse nesta quarta-feira (7) que as críticas feitas ao Programa Mais Médicos envolvem “questão política” e que há “preconceito ideológico” acerca do assunto. “É natural que isto aconteça. Somos um país democrático e todos podem divergir e criticar”, completou.

Durante audiência pública conjunta das comissões de Seguridade Social e Família e de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) criticou o tratamento diferenciado dispensado a médicos cubanos que participam do projeto.


O ministro, por sua vez, defendeu que o Mais Médicos é um programa de intercâmbio de profissionais que recebem bolsa e ajuda de custo e que, portanto, não há vínculo empregatício com o governo brasileiro.

Questionado sobre a fiscalização das condições de trabalho dos médicos envolvidos no projeto, Dias disse que a tarefa pertence aos ministérios da Educação e da Saúde, e não ao Ministério do Trabalho, uma vez que o programa envolve contratos de pesquisa, ensino e extensão.

Tags: