Polícia Militar registra confronto em duas comunidades da zona norte do Rio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 05/05/2014 11:01

Agência Brasil

Policiais militares lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do conjunto de favelas Lins de Vasconcelos, na zona norte da cidade, trocaram tiros com criminosos na comunidade do Barro Vermelho, na noite deste domingo (4), por volta das 18h45.

Os militares faziam um patrulhamento de rotina quando se depararam com criminosos, na parte alta do morro, que atiraram contra os policiais. Após o tiroteio, os traficantes fugiram. Ninguém ficou ferido durante a ação.

Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou que por volta das 18h45 de domingo, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Lins, durante um patrulhamento na localidade conhecida como Barro Vermelho, foram recebidos a tiros por criminosos armados. Os policiais revidaram e os bandidos fugiram. Os militares realizaram uma ação de varredura no local e encontraram 64 pedras de crack e 19 potes de fermento em pó. O policiamento foi reforçado na região do Lins. Não houve registro de pessoas feridas e a situação foi rapidamente controlada. O caso foi registrado na 26ª delegacia policial (Todos os Santos).

Em Madureira, outro ponto do subúrbio do Rio, traficantes do Morro da Serrinha tentaram invadir o Morro do Cajueiro, que é controlado por uma facção rival para tentar tomar os pontos de venda de drogas. Uma comunidade fica quase em frente a outra e é dividida pela Avenida Edgar Romero, principal ligação entre os bairros Vaz Lobo e Madureira.

De acordo com a Polícia Militar, o confronto ocorreu porque traficantes da Serrinha tentaram invadir o Cajueiro durante a tarde, por volta das 17h. Segundo a corporação, o tiroteio terminou em menos de uma hora. Policiais do 9º Batalhão da PM foram para o local, mas não houve confronto com os militares.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.