Homem morto na Rocinha era olheiro do tráfico

Policiamento na região segue reforçado por policiais do 23º Batalhão de Polícia Militar (Rocinha), dos batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Choque

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/05/2014 13:19 / atualizado em 02/05/2014 13:24

Agência Estado

O homem que morreu durante confronto entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha e traficantes que permanecem no morro desde a noite de quinta-feira, 1º, foi identificado como Fernando dos Santos, de 24 anos. Ele seria olheiro do tráfico, que é a pessoa que observa a movimentação nos arredores dos pontos do tráfico e avisa sobre a chegada de policiais ou traficantes de facções rivais.

Um jovem de 20 anos, que já tinha um mandado de prisão expedido contra ele, foi preso.Uma outra pessoa ainda não identificada ficou gravemente ferida após ser atingida no tórax. Essa pessoa e Santos foram levados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas Santos já chegou morto ao local. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), os policiais patrulhavam a Rua 2 quando foram surpreendidos pelos traficantes.

O policiamento na região segue reforçado por policiais do 23º Batalhão de Polícia Militar (Rocinha), dos batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Choque.

O confronto ocorreu no mesmo dia em que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), anunciou a transferência para presídios federais de criminosos envolvidos em ataques às UPPs. Segundo Pezão, nos próximos dias, a Justiça estadual pedirá que cinco traficantes, entre eles Luiz Carlos Jesus da Silva, o Djalma da Rocinha, sejam levados para unidades prisionais federais. Preso em abril, ele é acusado de coordenar ataques à UPP local, em fevereiro.

"Todos que forem pegos dilapidando patrimônio, atacando as sedes das UPPs, atacando os policiais, nós vamos reagir com força, vamos tirar do Estado, mandando para presídios federais. Tenho falado com o ministro da Justiça (José Eduardo Cardozo) duas, três vezes por dia, e ele tem sido de uma rapidez tremenda", afirmou Pezão na manhã de ontem.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.