18°/ 28°
Belo Horizonte,
22/NOV/2014
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Alemão é preso por desordem no aeroporto de Recife Estrangeiro foi impedido de embarcar em voo por estar muito embriagado e se recusou a deixar o saguão de embarque

Diário de Pernambuco

Publicação: 30/04/2014 16:37 Atualização:

Por ter resistido e causado transtornos ao procedimento realizado pelos policiais federais, Frank foi detido e levado para a sede da Polícia Federal, onde acabou sendo autuado pelo crime de resistência (PF/Divulgação)
Por ter resistido e causado transtornos ao procedimento realizado pelos policiais federais, Frank foi detido e levado para a sede da Polícia Federal, onde acabou sendo autuado pelo crime de resistência

Polícia Federal em Pernambuco, por meio da Delegacia de Imigração, prendeu o alemão Frank Mirko Nötzold, de 44 anos. O estrangeiro foi detido no Aeroporto Internacional dos Guararapes Gilberto Freyre depois que o gerente de uma companhia aérea informou à polícia que dois passageiros de nacionalidade alemã, estariam sentados no saguão do embarque internacional, uma área restrita, sem querer se retirar do local.

A dupla teria tomado a atitude, após ser impedida pelo comandante da aeronave de prosseguir viagem para Lisboa/Portugal em virtude do alto grau de embriaguês, o que colocaria em risco o sossego e a integridade física dos outros passageiros.

Ao chegar ao local, os policiais conduziram os dois alemães para fora do local. No entanto, quando se aproximou do guichê de imigração, Frank mostrou-se, intransigente e resistente em deixar o local, chegando a xingar os policiais, falando que de forma nenhuma deixaria aquele local.

Bastante exaltado e, com movimentos de braço bruscos, o alemão tentou impedir a ação policial, motivando o uso de uma pistola teaser de choque. O estrangeiro foi imobilizado e retirado do local.

Por ter resistido e causado transtornos ao procedimento realizado pelos policiais federais, Frank foi detido e levado para a sede da Polícia Federal, onde acabou sendo autuado pelo crime de resistência. Caso seja condenado, ele poderá pegar penas que variam de dois meses a dois anos de detenção.

Não foi possível realizar a oitiva do estrangeiro em razão do alto nível de embriaguez alcoólica em que ele se encontrava, não conseguindo, sequer, informar o endereço onde estaria hospedado ou mesmo o telefone de alguma pessoa que pudesse vir recebê-lo. Ele não poderá deixar o país sem primeiro ser sido ouvido pela autoridade judicial competente. Após fazer de exame de corpo de delito no IML , o alemão foi colocado em liberdade e responderá ao processo em liberdade.

Frank está legal no país e tem o visto concedido pelo governo brasileiro de temporário V – que vai até 28 de janeiro de 2015 e permite ao estrangeiro trabalhar em todo o território brasileiro.
Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Antonio
Principalmente nos países europeus, inclusive naquela coisinha chamada portugal, somos tratados como cachorros. Até posto para fora de taxi por ser brasileiro (portugal) já aconteceu. A reciprocidade é prevista internacionalmente. Parabéns à Pol.Federal. Vamos agir como eles agem. | Denuncie |

Autor: Marcos Drummond
Se fosse o inverso, o brasileiro seria deportado da Alemanha na hora e não posto em liberdade para responder processo. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.