Sobe para seis o número de mortos em rebelião na BA

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 28/04/2014 19:49

Agência Estado

Salvador, 28 - Seis presos morreram e sete ficaram feridos em uma rebelião no Conjunto Penal de Eunápolis (BA), 671 quilômetros ao sul de Salvador, iniciada na manhã desta segunda-feira, 28. De acordo com informações da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), as vítimas foram mortas pelos próprios colegas de cela durante o motim, apesar de pelo menos um dos feridos ter sido alvejado por tiros disparados por policiais.

Os detentos iniciaram o motim às 9h40, quando era realizada uma revista nas celas - procedimento que, segundo a secretaria, é "rotineiro" - e durou todo o dia. Chamada para auxiliar nos trabalhos, a Polícia Militar chegou a tentar conter a rebelião, sem sucesso. A Seap confirmou que os policiais lançaram bombas de efeito moral e atiraram, no tumulto. Os detentos depredaram uma das alas do presídio e atearam fogo em colchões.

Do lado de fora do presídio, houve discussões entre familiares dos presos, que tentavam obter informações sobre o que acontecia dentro da unidade, e policiais. Os populares chegaram a atirar pedras contra os PMs - dois deles ficaram levemente feridos - e tentaram atear fogo a pneus que foram levados para o local, mas foram impedidos.

O motim só foi controlado no fim da tarde, com a chegada de reforço de policiais de companhias independentes da PM que atuam na região. A Seap informou que, após a ocupação do presídio pelos policiais, foi iniciada a vistoria nas celas da unidade. Uma investigação foi aberta para determinar a causa do motim e as circunstâncias das mortes dos presos.

Por causa da depredação, segundo a secretaria, parte dos 587 presos do conjunto terá de ser transferida para outras unidades da região. Inaugurado no ano passado, o Conjunto Penal de Eunápolis tem capacidade para 450 detentos.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.