'Invasor' seria parente de vítima de coronel, diz viúva

Ladrões procuravam por armas e ameaçaram Cristina Batista Malhães para que o marido revelasse onde era guardada a coleção

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 28/04/2014 10:27

Agência Estado

A Comissão da Verdade do Rio já sabe que um dos invasores do sítio do coronel da reserva do Exército Paulo Malhães, em Nova Iguaçu, onde o militar foi achado morto após assalto, disse ser parente de alguém que o oficial teria assassinado. A afirmação foi ouvida pela viúva do oficial, Cristina Batista Malhães. Ela reforçaria a hipótese de vingança - mas não inviabilizaria a possível ligação do crime com o passado do oficial na repressão militar da ditadura.

Cristina foi mantida presa pelos três invasores armados, ao lado de Malhães e do caseiro, identificado como Rogério. O mesmo homem que disse a frase ouvida pela viúva citou o município de Duque de Caxias.

A invasão aconteceu na última quinta-feira. Os criminosos chegaram a tentar enforcar Cristina para forçar o coronel a revelar onde guardava sua coleção de armas, suposto alvo dos ladrões. Depois que fugiram, constatou-se que o oficial, deixado de bruços com o rosto sobre um travesseiro, havia morrido. A guia de sepultamento apontou como causa complicações cardíacas. A Polícia investiga a possibilidade de asfixia. Somente um laudo definitivo do Instituto Médico-Legal determinará o que matou o militar.
Tags: