Salvador e região registam 21 homicídios no fim de semana mesmo com fim da greve da PM

Segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública, somente no domingo de Páscoa 13 pessoas foram mortas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 21/04/2014 17:31 / atualizado em 21/04/2014 17:34

Agência Estado

Salvador, 21 - Embora a greve da Polícia Militar tenha sido encerrada há quatro dias, a população baiana continua assustada com os números da criminalidade. Somente no último final de semana, 21 pessoas foram assassinadas em Salvador e Região Metropolitana, 13 delas somente no domingo de Páscoa, segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública. Até o final da tarde desta segunda-feira, 21, feriado de Tiradentes, ainda não haviam sido computados os números mais recentes da violência urbana - o que pode elevar ainda mais as ocorrências.

Mesmo assustados, os baianos seguem sua rotina em ritmo de normalidade. Em Salvador já se registra um intenso movimento - tanto no sistema ferry-boat quanto pelas estradas - de retorno daqueles que foram passar o longo feriado nas praias mais distantes. Quem volta de carro pelo ferry enfrenta fila de espera de até 2h30.

A greve da PM foi deflagrada na terça-feira (15) e se estendeu até quinta (17), período em que morreram mais de 50 pessoas. No dia seguinte, o principal líder do movimento, o vereador Marco Prisco, foi preso por determinação da Justiça Federal, e encaminhado para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, onde permanece aguardando decisão de pedido de habeas-corpus, sob análise da ministra do Supremo Tribunal Federal Carmen Lúcia.

Caso permaneça detido, Prisco deverá receber a sua família (mulher e filhos), nesta terça-feira (22), dia de visita na Papuda. A informação é de Fábio Brito, coordenador-jurídico da Associação dos Policiais Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), entidade que é presidida pelo vereador.
Tags: