/ 22°
Belo Horizonte,
01/AGO/2014
  • (25) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Amiga de madrasta diz que ajudou a matar Bernardo Uglione por dinheiro Edelvania disse que recebeu R$ 6 mil e que usou o dinheiro para pagar uma parcela de seu apartamento, comprado por R$ 96 mil. Seriam R$ 20 mil no total

Agência Estado

Publicação: 20/04/2014 09:31 Atualização: 20/04/2014 10:15

O corpo de Bernardo foi sepultado na última semana (Carlos Macedo / Agencia RBS / Agencia O Globo )
O corpo de Bernardo foi sepultado na última semana
Porto Alegre, 20 - A assistente social Edelvania Wirganovicz ajudou a matar o menino Bernardo Boldrini, de 11 anos, por R$ 20 mil. A informação foi divulgada ontem pelo jornal Zero Hora, de Porto Alegre, que teve acesso ao depoimento que a mulher deu à polícia, em 14 de abril.

“Era muito dinheiro e não teria sangue nem faca. Era só abrir um buraco e ajudar a colocar dentro o menino”, disse Edelvania, de 40 anos. Ela está presa, assim como o pai da criança, o médico Leandro Boldrini, de 38 anos, e sua atual mulher, Graciele Ugulini, de 32 anos, acusados da morte do menino.

Edelvania disse que recebeu R$ 6 mil e que usou o dinheiro para pagar uma parcela de seu apartamento, comprado por R$ 96 mil. Seriam R$ 20 mil no total. Entretanto, Graciele teria se disposto a quitar o imóvel.

Aos policiais, Edelvania relatou que todo o plano para matar e esconder o corpo de Bernardo foi de Graciele. Segundo a assistente social, Boldrini não tinha conhecimento. “Ele não sabia, mas, futuramente, ele ia dar graças de se livrar do incômodo, porque Bernardo era muito agitado”, teria ouvido da madrasta.

Em 4 de abril, Bernardo foi levado à cidade de Frederico Westphalen, vizinha a Três Passos, onde morava, para supostamente visitar uma “benzedeira”. Conforme o depoimento, Edelvania e Graciele, cujo apelido é Kelly, “mandaram ele deitar sobre uma toalha de banho cor azul. Kelly aplicou na veia do braço esquerdo, com uma seringa, e ele foi apagando”.

Nenhuma das duas conferiu a pulsação de Bernardo antes de enterrá-lo. O menino foi despido e colocado na cova, feita dias antes por Edelvania. Graciele jogou soda no corpo, para que a decomposição fosse mais rápida, e tapou com pedras e terra.

Segundo Edelvania, Graciele lhe confidenciou que pensava em matar o menino fazia tempo. Teria até mesmo tentado asfixiá-lo. A tentativa foi relatada por uma ex-babá à avó materna de Bernardo, Jussara Uglione, de 73 anos, que tentava na Justiça a guarda do menino.

Lentidão

Jussara, que antes de velar o neto havia enterrado a filha - primeira mulher de Boldrini, cuja morte foi apontada como suicídio e que pode ter a investigação reaberta -, lamenta que as autoridades não tenham agido diante das denúncias apresentadas por ela e por seu advogado ao Conselho Tutelar de Três Passos e à Promotoria da Infância e Juventude.

Desde a morte da filha, Odilaine Uglione, em 2010, Jussara havia perdido contato com o neto. Diz que Boldrini impedia a aproximação. “Meus advogados têm comprovantes de que fui impedida de vê-lo desde a morte da minha filha. Fui impedida por quatro anos, me chamavam de velha doente, falavam que eu tinha problemas e não teria condições de cuidar dele”, conta.

O advogado de Jussara, Marlon Balbon Taborda, informou, em e-mail ao Conselho Tutelar e à promotora Dinamárcia Maciel de Oliveira, que a avó tinha informações de que Bernardo não estava mais com o pai, mas com uma pessoa identificada como Jú. O advogado explica que conversou com uma pessoa chamada Elaine, “que me expôs de forma categórica ao telefone que Bernardo estava andando pela rua, abandonado, que quase foi asfixiado em uma noite quando estava em casa, fato confirmado pelo menino”. Elaine nunca foi chamada a depor.

O advogado diz que os órgãos da rede de proteção da criança foram chamados para confirmar os acontecimentos. “Demos nomes de testemunhas a serem averiguadas, mas nunca recebemos qualquer retorno”, reclama. “O menino sofria maus-tratos. Ela (Graciele) não deixava que ele entrasse em casa enquanto o pai não chegasse. Ele ficava sentadinho na calçada. A Justiça sabia disso, porque toda a vizinhança o via sentado na calçada”, diz a avó.

O pai havia sido chamado pelo Ministério Público para conversar sobre a guarda, mas ele insistiu que queria ficar com Bernardo e pediu uma chance. Para a promotora da Infância de Três Passos, tudo o que estava ao alcance do MP foi feito.
Tags:

Esta matéria tem: (25) comentários

Autor: Gil Miranda
O Estado deverá ser responsabilizado por omissão, respectivamente os seus agentes públicos representados pelo MP e Conselho Tutelar. | Denuncie |

Autor: Marcos Drummond
Pela impunidade no primeiro crime (morte da esposa), o médico e monstro se sentiu fortalecido a matar o filho, aliado a duas imbecis, Graciele e Edelvânia. Agora, cumpre a Justiça mandar este trio para cadeia, com pena máxima. Os presos farão o resto, usando o "código de honra" deles. | Denuncie |

Autor: Roberto Santos
Essa criança deve ter sofrido muito nas mãos dessa madastra. Mas o sofrimento desse demônio em forma de mulher será muito pior e eterno o pequeno Bernardo estará ao lado de Deus vendo a justiça divina. | Denuncie |

Autor: geraldo magela
Menos formalismo da lei e mais ação do poder público evitaria, quem sabe, essa atrocidade. CADEIA para os assassinos e marginais, que se passavam por gente. | Denuncie |

Autor: geraldo magela
Falharam as autordades, já que toda a cidade sabia do tratamento desumano ao menino. Quando chamaram o pai, outras pessoas deveriam ser ouvidas. E o prazo de dois meses, sem um acompanhamento é muito. O pior é que tem muita criança mal tratada, por maldade, omissão e falta de ação das pessoas. | Denuncie |

Autor: Edson Marco Marques
se fosse alguem com um nivel social elevado o delegado(a)teria ouvido as denuncias e tomado providencias.quer ser bem tratado chegue em uma delegacia de terno e gravata. o resto hummmmm | Denuncie |

Autor: Marco Pereira
Vou repetir: quero que todos os homens da lei deste país vão para a PQP. Não tem um mínimo de repsonsabilidade para com o povo do Brasil e que se danem. É assim que pensam esses coronéis de cacau que tomaram conta do Brasil e taí a prova do que estamos passando: terra sem lei... | Denuncie |

Autor: Marco Pereira
Se sou tio deste garoto, eu iria me arrepender de não fazer ou tomar uma atitude contra o pai, madrasta, tia, vizinha, cachorro...COMO NÃO TOMAR UMA ATITUDE CONTRA AS BARBÁRIES AO QUAL ESTAMOS VENDO? BASTA... | Denuncie |

Autor: Marco Pereira
Esta mulher...se em outros países, estaria morta. Por 6 mil ser participante de um crime? Num sonho, eu vi o que DEUS ESTÁ FAZENDO COM PESSOAS DO TIPO DESTA MULHER...é de arrepiar e perder os cabelos...BEM FEITO PARA CRIMINOSOS. Vocês não tem noção do Que Deus tá fazendo com criminosos... | Denuncie |

Autor: Marco Pereira
Quero que a lei brasileira e os homens que trabalham nela, vão todos para a PQP. Vejam o relato desta imbecil...o que deveria ser feito com ela? | Denuncie |

Autor: FRANCISCO MIGUEL CUNHA
Pena de morte jááááááááááááá!!!!!Tem de pendurar de cabeça para baixo como os índios apaches faziam antigamente e acender uma fogueira embaixo.Quanto a essa Justiça brasileira...vocês me dão nojo!!! | Denuncie |

Autor: lorena silveira
Monstruosidade, á ganância humana não tem limites! Agora, é mofar na cadeia sem direito a liberdade. Lamentável que alguns leitores aproveitem o drama humano para politicagem de quinta | Denuncie |

Autor: willian celeste
situação igual a esta temé muito pelo Brasil a fora,os orgãos de proteção a criança tem que cuidar é destes problema e não de menores de 17 anos criminosos a qume eles estão amparando o tempo todo | Denuncie |

Autor: Alan Carvalho
Esta tragédia ocorre todos os das. Agora que a imprensa e o poder público sabe que crianças são mau tratadas, por favor, ouçam as denúncias também de crianças pobres que vivem nas vilas, favelas e cidades menos cobertas pela imprensa. É um pedido de maior atenção com crianças, apenas isto. | Denuncie |

Autor: Vagner Pereira
Nada trara o pobre garoto de volta. Coitado, nao temos ideia do que deve ter sofrido esse menino. Que esses 3 morram na cadeia nas maos de algum bandido. E a avo processo o Estado e consiga uma indenizacao. Esses bandidos so protegem menores delinquentes. Pais de merda! | Denuncie |

Autor: mauricio oliveira
SOU A FAVOR DE MATAREM ESTES VERMES NA PRISÃO!!!!!! | Denuncie |

Autor: jota fer
Pelo relato o MP se omitiu. Sabem defender muito bem o menor infrator, mas são lerdos na ação contra aqueles que não respeitam os direitos das crianças. | Denuncie |

Autor: José Filho
A delegada disse que só reabriria o processo sobre o "suicídio" da primeira esposa do médico assassino se aparecesse um fato novo. Mandaram matar o menino e isso para a delegada não é um fato novo. A primeira esposa, ao que tudo indica, não se suicidou. Foi assassinada pelo médico e monstro. | Denuncie |

Autor: Lincoln de Brito Xavier
Estou estarrecido,comovido e revoltado.Os assassinos,após suas condenações,deveriam ir para presídios onde se sintam acuados,ameaçados e amedrontados;dia e noite,ininterruptamente. | Denuncie |

Autor: Ronan Melo
Sr. João Menezes: não viaja!!! No caso em tela a responsabilidade é do poder judiciário. Não misture as coisas! Estude um pouco sobre a repartição de poderes da Constituição da República para não sair por aí falando besteira. Evitemos dar palpite sobre o que ignoramos. Fique em Paz! | Denuncie |

Autor: Denise Pinto
Parece que todos temiam contrariar o pai do menino, que era um dos poucos médicos da cidade, com exceção da ex-babá, que denunciou, mas não foi ouvida. | Denuncie |

Autor: adao santos
Agora estou comecando a entender o Estatuto de Protecao a Crianca e ao Adolecente, ele e para proteger os menores (17 anos, 11 meses e 29 dias) criminosos, pois vejo acao rapida nestes casos enquanto no de Bernardo... | Denuncie |

Autor: Geraldo Nelson Santos
Entra numa delegacia e ve como vc é tratado. Eles parecem deuses em seus altares. Tratam vc mal e vc geralmente não tem a quem recorrer pois o corporativismo existe. Tenho um oirmão que foi delegado muitos anos e sei o que estou falando. Como irmão era tratado lá como rei mas via como tratavam outrs | Denuncie |

Autor: Jose Gouveia
Comovente a forma que esse menino deve ter sido atormentado. Em pleno século XXI permitirmos que coisas assim continuem acontecendo. Agradecimentos aos nossos juizes, responsáveis pelos conselhos tutelares e demais cabides de empregos de pessoas desqualificadas em órgãos públicos. | Denuncie |

Autor: João Menezes
O menino pediu proteção ao Estado e este negou. Se fosse terrorista assassino italiano teria toda proteção possível, como fez um certo ex presidente. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.