/ 22°
Belo Horizonte,
01/AGO/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Seca: não entraremos em 'picuinha política', diz Alckmin

Agência Estado

Publicação: 17/04/2014 14:01 Atualização:

São Paulo, 17 - Após o silêncio durante toda a quarta-feira, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), rebateu nesta quinta-feira, 17, a afirmação da gestão Fernando Haddad (PT) de que há racionamento noturno de água na capital paulista. "Não vamos transformar a maior seca das últimas décadas em picuinha política", disse Alckmin, sobre a declaração do secretário municipal de Governo, Francisco Macena (PT) de que a redução em 75% da pressão da água na rede de abastecimento da cidade entre meia-noite e cinco da manhã é racionamento. Alckmin e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) negam.

O racionamento noturno consta de ofício distribuído terça-feira por Macena a gestores municipais e revelado pelo Estado. No documento, o petista alerta que a redução da pressão na água pode deixar órgãos públicos situados em bairros altos sem água no período da noite. "Isso é uma forma de racionamento", disse Macena, que cobrou "transparência" da Sabesp. O diretor metropolitano da estatal, Paulo Massato, reagiu e classificou de "irresponsável" a declaração de Macena. Segundo a Sabesp, a redução de pressão é necessária para fazer a reversão de água dos sistemas Guarapiranga e Alto Tietê para regiões que eram abastecidas pelo Sistema Cantareira. De acordo com Alckmin, a adesão da população ao plano de descontos da Sabesp tem feito com que não haja necessidade de racionamento até agora.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.