TCE critica contaminação do câmpus da USP Leste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 16/04/2014 09:49

Agência Estado

São Paulo, 16 - O Tribunal de Contas do Estado (TCE) também questiona o depósito de terra de origem desconhecida no câmpus da USP Leste durante 2011, umas das principais causas de contaminação do terreno. Por problemas ambientais, a unidade está interditada judicialmente desde janeiro, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE).

O TCE critica a ausência de licitação para movimentar o material e afirmou que, apesar do histórico de irregularidades ambientais do câmpus, "nenhuma providência eficaz" foi adotada pela USP. O diretor da unidade à época, José Jorge Boueri Filho, é alvo de investigação do MPE pelo depósito clandestino. A estimativa é de que a remoção de terra custe R$ 20 milhões. A USP informou que tem adotado todas as medidas exigidas pela Justiça e pelo MPE. As informações são do jornal

O Estado de S. Paulo.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.