17°/ 30°
Belo Horizonte,
31/OUT/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

HPV: mais de 3,4 milhões de meninas já foram vacinadas

Agência Estado

Publicação: 11/04/2014 16:01 Atualização:

São Paulo, 11 - Um mês após o lançamento da campanha de vacinação contra HPV no Brasil, mais de 3,4 milhões de adolescentes entre 11 e 13 anos já foram imunizadas contra o vírus, segundo informou o portal do Ministério da Saúde nesta sexta-feira, 11. Esse número representa 83% da meta da pasta, que é vacinar 4,1 milhões de meninas nessa faixa etária até o fim do ano. A primeira etapa da vacinação começou no dia 10 de março e teve como foco a mobilização nas escolas públicas e privadas de todo o País.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, avaliou o resultado como positivo e atribuiu os bons números ao "esforço" de Estados e municípios, que seguiram a recomendação do órgão e fizeram as mobilizações nas escolas. A segunda fase da campanha começa nesta sexta-feira, 11, e tem como foco os postos de saúde. Chioro lembra, contudo, que a estratégia deverá continuar em algumas escolas e que, por isso, os pais devem se informar até quando a vacinação vai acontecer.

O Ministério da Saúde afirma que a vacina contra HPV, que é ofertada gratuitamente pelo SUS, ficará disponível nas 36 mil salas espalhadas pelo Brasil. O esquema de vacinação é composto por três doses, sendo a segunda delas aplicada com intervalo de seis meses e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira dose. Em 2015, a previsão da pasta é vacinar adolescentes de 9 a 11 anos e, em 2016, começam a ser imunizadas meninas que completam 9 anos de idade.

Apesar de, em alguns Estados, como o Rio Grande do Sul, terem surgido alguns casos de reação à vacina, o Ministério da Saúde assegura que o medicamento utilizado é seguro, sendo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e usado como estratégia de saúde pública em 51 países. De acordo com a pasta, a vacina protege contra quatro subtipos do HPV, com eficácia de 98%, sendo dois deles os responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero em todo o mundo.

O órgão pondera, contudo, que a imunização não substitui a realização de exame preventivo nem o uso de preservativo nas relações sexuais. O ministério orienta que mulheres na faixa etária entre 25 e 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) prevê o surgimento de 15 mil novos casos desse tipo de câncer e aproximadamente 4,8 mil óbitos apenas neste ano, segundo o Ministério da Saúde.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.