20°/ 35°
Belo Horizonte,
20/OUT/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Polícia faz reconstituição de crime com dez mortes na Maré Com previsão de terminar só na manhã de quarta-feira, ação será a mais longa já feita no Brasil

Agência Estado

Publicação: 08/04/2014 16:07 Atualização: 08/04/2014 18:56

A Polícia Civil do Rio, iniciou, por volta das 15h desta terça-feira, 8, a reconstituição da operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar que resultou na morte de um sargento e de outras nove pessoas no Complexo da Maré, zona norte do Rio, ocorrido em junho do ano passado. Trata-se da reconstituição com maior número de vítimas já realizada pela Polícia Civil.

O delegado Rivaldo Barbosa, titular da Divisão de Homicídios da Capital (DH) estima que os trabalhos deverão ser concluídos apenas na manhã de quarta-feira. Se confirmado, esta será a reconstituição com maior duração já realizada, superando a do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, que sumiu em julho na favela da Rocinha, zona sul do Rio, que demorou cerca de 18 horas.

Serão feitas três reproduções simuladas e cinco perícias complementares. Os PMs do Bope que participaram da operação estão no local. Cerca de 80 policiais civis da DH (sendo cinco delegados, dez peritos criminais, três peritos legistas e mais de 20 agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) também participam do trabalho. A área está isolada por militares do Exército, que desde sábado são responsáveis pelo patrulhamento na Maré.

"Até o momento, todos os PMs estão sendo ouvidos na condição de testemunhas. Mas estamos apurando possíveis excessos. Instauramos oito inquéritos para apurar as dez mortes porque são fatos distintos dentro do mesmo contexto, ou seja, da mesma operação policial. Em cada local que houve morte, participaram determinados policiais", explicou o delegado Rivaldo Barbosa.

Segundo o delegado, as reconstituições têm dois objetivos. O primeiro, é confrontar os depoimentos dos policiais e testemunhas com o que já foi apurado pela perícia. E o segundo, é verificar se a versão dos PMs corresponde com as lesões sofridas pelas vítimas. "Vamos reproduzir tudo o que aconteceu naquele dia para chegarmos à verdade. Estamos colocando todos os atores no cenário para tirarmos todas as dúvidas", afirmou.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.