Boliviano é morto após deixar casa de Olacyr de Moraes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 04/04/2014 20:01

Agência Estado

São Paulo, 04 - Um economista boliviano foi assassinado na tarde desta sexta-feira, 4, após sair de carro da casa do empresário Olacyr de Moraes, conhecido como rei da soja nos anos 1980. O crime aconteceu por volta das 12h na Avenida Morumbi, na zona sul da capital paulista, e foi praticado, segundo a Polícia Civil, por um motorista de Moraes.

A vítima, Andres Fermin Heredia Gusman, de 60 anos, levou ao menos três tiros dentro de seu automóvel, uma Cherokee blindada. A polícia informou que os disparos foram efetuados por Miguel Garcia Ferreira, de 61 anos, que há 38 anos trabalha para Moraes. Ele teria pedido uma carona para o economista, que teria sido suplente de senador na Bolívia, até a Avenida Oscar Americano.

No caminho, Ferreira sacou uma pistola .38 e a apontou para a cabeça de Gusman, que teria reagido. Nesse momento, segundo a polícia, Ferreira disparou quatro vezes - três balas acertaram a vítima. O carro acelerou e bateu em um poste. Ainda de acordo com a polícia, Ferreira, então, saiu da Cherokee, levando consigo uma sacola com R$ 399,9 mil. Em seguida, ele pediu carona a uma mulher cujo carro foi parado por policiais do Garra que estavam na região. As roupas de Ferreira estavam manchadas de sangue.

Os investigadores trabalham com a hipótese de que ele tenha "tomado as dores" de seu patrão, a quem Gusman "estava deixando triste", conforme teria dito aos policiais. Há a suspeita de extorsão e Moraes pode ser ouvido no decurso das investigações. Ferreira foi preso em flagrante por homicídio doloso. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Latrocínios. Segundo a Polícia Civil, Gusman fazia parte de uma câmara de comércio entre o Brasil e a Bolívia e tinha atividades no País desde 1972.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.