11°/ 20°
Belo Horizonte,
30/JUL/2014
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Novo reservatório teria alto custo social, diz Alckmin Para governador paulista, solução é menos prática que a transposição proposta, que é rechaçada pelo governor do Rio de Janeiro

Agência Estado

Publicação: 02/04/2014 16:31 Atualização: 02/04/2014 17:28

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a defender a transposição de água da Bacia do Rio Paraíba do Sul para o Sistema Cantareira e disse que uma solução alternativa ao polêmico projeto para aumentar o abastecimento da Grande São Paulo seria a construção de um novo reservatório que teria um custo social, econômico e ambiental. "Qual seria a outra solução? Fazer mais um reservatório. Quanto custa isso? Custo social? Quantas famílias vão ser desapropriadas? O custo ambiental? Custo econômico. Então, o mundo inteiro interliga reservatórios para você poder guardar (água)", disse o governador paulista nesta quarta-feira, 2.

A proposta é transpor água da represa Jaguari, em Igaratá, para a represa Atibainha, em Nazaré Paulista, um dos reservatórios do Sistema Cantareira. A medida foi rechaçada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), porque o Jaguari é um dos afluentes do Rio Paraíba do Sul, responsável pelo abastecimento de 80% da região metropolitana fluminense. "Ninguém vai tirar água do Rio Paraíba. E não interfere no Rio de Janeiro. Porque como o Rio Paraíba é federal, quem regula a quantidade de água é a ANA. E ele (Rio de Janeiro) tem vazão mínima de água garantida lá em Barra do Piraí para o abastecimento da metrópole", disse Alckmin.

Briga

Após uma troca pública de farpas com Cabral, o tucano disse nesta quarta-feira que é preciso "deixar de lado as paixões políticas" e "ter muito espírito de estudo" para avaliar a proposta. "É importante esclarecer que o governo de São Paulo não pretende tirar nenhuma água do Rio Paraíba", afirmou Alckmin. "Tenho certeza que a ANA, que é o órgão regulador, sabe que a nossa proposta técnica é correta e necessária. E não interfere em retirada do Paraíba", completou.
Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Geraldo Nascimento
A visão curta e anacrônica do Sr. Alckmin reflete a incapacidade administrativa dos governantes brasileiros. A degradação ambiental no estado de São Paulo, esta sim deveria ser a tônica do governo, que no entanto, prefere insistir na ação simplista e não no enfrentamento do problema real. | Denuncie |

Autor: Paulo Silveira
Parece ironia, São Paulo, cidade banhada por vários rios, como Tietê e Pinheiros, estar passando por essa situação. Alto custo tem é a POLUIÇÂO, sr. governador. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.