13°/ 22°
Belo Horizonte,
25/JUL/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pais são suspeitos de sumiço de menino em Goiás

Agência Estado

Publicação: 02/04/2014 16:01 Atualização:

Goiânia, 02 - A Polícia Civil de Goiás determinou a realização de uma avaliação psicológica de familiares de um menino de 4 anos de idade que está desaparecido há quase um mês. A mãe e o padrasto figuram como únicos suspeitos por falta de provas contra outras pessoas e porque eram os responsáveis pela criança. O menino Emivaldo Brayan, sumiu de casa na madrugada do dia 4 de março, em Indiara, a cem quilômetros de Goiânia, e nunca mais foi visto. As buscas foram realizadas até o dia 7, mas nenhuma pista foi descoberta na residência, nem em plantações de soja que foram vasculhadas, ou em câmeras de segurança da cidade.

Nesta quarta-feira, 2, a mãe Silmara Borges da Silva, dona de casa, o padrasto Luiz Paulo da Costa Batista, que é motorista, além de uma irmã de 6 anos de idade, e dos avós da criança, vieram até Goiânia para a primeira entrevista com o psicólogo forense Leonardo Faria.

Desde o sumiço de Emivaldo, o casal fez vários apelos para que a criança fosse devolvida e moradores de Indiara se comoveram com o caso.

Agora, o casal convive com a condição de suspeito porque, afirmando que o menino não poderia ter desaparecido sozinho, o delegado de Indiara, Queops Barreto, declarou que os únicos suspeitos são a mãe e o padrasto. Ele solicitou a avaliação psicológica dos parentes em busca de eventuais motivos para elucidar o caso. Também espera o resultado de uma perícia mais detalhada na casa da família para dar andamento no inquérito.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.