Justiça do RS obriga grávida ao parto por cesariana

Mulher foi avisada sobre riscos que corria com parto natural, mesmo assim recusou procedimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/04/2014 14:49 / atualizado em 02/04/2014 15:25

Agência Estado


A Justiça do município de Torres, no litoral do Rio Grande do Sul, obrigou uma mulher grávida a fazer uma cesariana para garantir o direito à vida dela e do nascituro. A gestante procurou o Hospital Nossa Senhora dos Navegantes por estar sentindo dores abdominais e lombares. A médica que prestou atendimento constatou que o bebê estava em pé dentro do útero, o que tornaria o parto natural uma situação de risco, e recomendou a cesariana. A mulher se recusou ao procedimento, assinou termo de responsabilidade e deixou o hospital.

O Ministério Público foi informado e ajuizou medida de proteção. A juíza de Direito Liniane Maria Mog da Silva acolheu o pedido e determinou a condução coercitiva da mulher ao hospital. A cesariana foi feita na madrugada desta terça-feira, dia 1º. A mãe e o bebê passam bem.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.