Bandidos que mataram PM no RJ levaram R$ 100 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/03/2014 20:01 / atualizado em 29/03/2014 20:49

Estado de Minas

O sargento da Polícia Militar Mozart Soares da Cunha, de 41 anos, foi assassinado a tiros na noite desta sexta-feira (28) ao reagir a um suposto assalto no bairro de Coelho Neto, na zona norte do Rio de Janeiro. Ele dirigia um Camaro amarelo quando foi abordado por quatro homens armados, que levaram R$ 100 mil que estavam no carro. Os bandidos também roubaram joias e uma arma do sargento.

Mozart levou dois tiros, no pulmão e no coração. Ele teria sido identificado como militar. A vítima foi levada por policiais militares ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu. De acordo com a Polícia Militar, o policial estava de folga naquele dia. Ele estava acompanhado da mulher, Nilva Carla, que não foi ferida.

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o caso. Os militares que prestaram socorro à vítima e sua esposa já prestaram depoimento. Segundo Nilva Carla, a quantia levada pelos criminosos seria usado para o pagamento de fornecedores. O policial seria proprietário de uma empresa de comercialização de cestas básicas.

Em seu perfil em um site da internet, o sargento ostentava uma vida de luxo, com passeios de lancha, carros importados e muitas joias. Segundo a esposa, o casal voltava de uma agência bancária, onde teriam sacado o dinheiro. Eles também estariam acompanhando um caminhão com funcionários da empresa, que fariam o carregamento dos alimentos. "Ele já foi até investigado várias vezes, mas não provaram nada contra ele. Infelizmente, essa morte vai ser só mais uma para a estatística. Todo dia morre um PM", contou a esposa, que trabalhava como gerente da empresa. "Meu marido foi morador de rua antes de ser adotado. Ele entrou para a polícia e virou empresário. Era uma pessoa honesta, batalhadora", completou.

Mozart era militar desde 2001. O casal estava junto há dez anos e tinha um filho. O corpo do sargento foi sepultado na tarde desta sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, na zona oeste do Rio. Este é o terceiro caso de PM morto na Região Metropolitana do Rio em uma semana. Na madrugada do último sábado (22), o sargento Maurício Pedro da Silva, de 44 anos, morreu ao ser baleado numa perseguição em Magalhães Bastos, na zona oeste da capital. Na quinta-feira (27), o policial do Batalhão de Choque Douglas Alves dos Santos foi baleado ao reagir a uma suposta tentativa de assalto no município de Itaboraí.

Com Agência Estado
Tags: