13°/ 24°
Belo Horizonte,
24/JUL/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Doze fotógrafos detidos por crime ambiental Eles foram flagrados alimentando peixes com pães e ração canina, ocasionando enorme impacto ambiental

Diário de Pernambuco

Publicação: 26/03/2014 18:01 Atualização:

Todas as câmeras digitais apreendidas e as atividades de fotografia subaquática foram suspensas por 30 dias (PF/ Divulgação)
Todas as câmeras digitais apreendidas e as atividades de fotografia subaquática foram suspensas por 30 dias
Doze fotógrados subaquáticos foram detidos, tiveram os equipamentos recolhidos e ficaram 30 dias sem exercer a função, depois de serem flagrados alimentando peixes na zona de visitação das piscinas naturais de Maragogi, distante 5 km da costa, no Litoral Norte de Alagoas. A operação, realizada pelo Núcleo Especial de Polícia Marítima da POlícia Federal (PF) em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e com a Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APA), foi realizada no dia 27 de fevereiro.

De acordo com a polícia, para atrair os peixes para junto dos turistas e tirar fotos mais interessantes, vendidas posteriormente em CDs por cerca de R$ 50, os fotógrafos estariam alimentando os animais com pães e ração canina, prática inadequada para a conservação da biodiversidade, em especial à comunidade de peixes recifais. O gesto favorece o estabelecimento de espécies mais oportunistas e agressivas, como a saberé, promovendo a expulsão das demais espécies e prejudicando a saúde dos animais, ocasionando enorme impacto ambiental.

Os detidos levados à terra na embarcação da PF e de lá até a sede do ICMBio, onde foi lavrado um auto de infração com multas no valor de R$ 1.500 para cada um. Todas as câmeras digitais apreendidas e as atividades de fotografia subaquática foram suspensas por 30 dias. Entre multas aplicadas e equipamentos arrecadados, chegou-se a um valor total de R$ 30 mil.

De acordo com a Polícia Federal, várias ações repressivas e preventivas vêm sendo realizadas para evitar e coibir diversos crimes ambientais em várias localidades em Alagoas, como Maragogi, Taocas, Barra Grande, Galés e Paripueira, Toquinho e em Pernambuco, como São José da Coroa Grande Porto de Galinhas, Serrambi e Tamandaré.

Segundo a PF, também estão sendo desenvolvidos trabalhos de fiscalização com relação a documentação dos barcos, tráfico de drogas e de pessoas, documentação de estrangeiros, contrabando, transporte de menores, caça e pesca ilegal e invasão de área ambiental.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.