Não há prazo para permanência das tropas, diz Cardozo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 24/03/2014 14:31

Agência Estado

Rio de Janeiro, 24 - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que não há prazo para a permanência das tropas federais no Complexo da Maré, zona norte do Rio. "Vamos ficar o quanto for necessário para o cumprimento dessa primeira etapa e os prazos são ajustáveis a essa necessidade". A primeira etapa a qual ele se refere é a ocupação da Maré pelas forças federais para preparar a implantação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), prevista para o segundo semestre deste ano.

O Complexo da Maré já possui um Batalhão próprio, o 22º BPM, com cerca de 600 policiais que, com a chegada das Forças Armadas, deverão se submetidas às decisões federais. Perguntado sobre a relação entre os ataques à UPP do Mandela, no Complexo de Manguinhos, na zona norte, e a ocupação do Complexo da Maré, o governador do Rio, Sérgio Cabral, foi evasivo. "Direta e indiretamente (a ocupação da Maré) tem a ver com as ações em Manguinhos".

Cardozo e Cabral estiveram reunidos no Centro Integrado de Comando e Controle, no centro do Rio, com o chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas, general de Exército, José Carlos de Nardi e a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, além de representantes das Polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal. Os detalhes da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), operação militar em área previamente estabelecida e com prazo limitado, ainda estão sendo acordados.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.