16°/ 30°
Belo Horizonte,
24/OUT/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Firjan critica ideia de transposição do Paraíba do Sul

Agência Estado

Publicação: 21/03/2014 14:01 Atualização: 21/03/2014 14:40

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) manifestou oficialmente posição contrária à possibilidade de transposição das águas do Rio Paraíba do Sul para abastecer a região metropolitana de São Paulo. Para a entidade, essa estratégia gerará prejuízos ao Estado do Rio de Janeiro, no curto e longo prazos. Diante disso, a federação pede que seja escolhida outra alternativa, com menos impactos negativos.

"Ao contrário do que tem sido veiculado, a bacia do Paraíba do Sul não apresenta uma situação hídrica confortável", menciona a nota da Firjan. De acordo com a entidade, diversos trechos apresentam redução drástica de suas vazões em períodos secos, como nas regiões de Barra do Piraí (RJ) e São José dos Campos (SP), "quase inviabilizando qualquer uso da água". A entidade aponta que na foz do Rio Paraíba do Sul são recorrentes os problemas com a entrada de água do mar, pela baixa vazão do rio, afetando atividades como a agricultura e a pecuária.

A Firjan alerta que outro aspecto a ser considerado é a capacidade de regulação e controle de cheias desempenhado pelo conjunto de barragens do trecho fluminense do rio Paraíba do Sul. "Com isso, diversas regiões, especialmente no sul do Estado, ficarão mais suscetíveis a secas e alagamentos, além da redução da geração de energia no complexo Ribeirão das Lajes/Guandu, estimada em 2,4% a 4,1%. Num quadro cada vez mais complexo de oferta e demanda de energia elétrica, esse é outro problema grave", cita a nota.

Para a federação, o cenário piora quando se projeta a evolução da população e da demanda de água no Estado do Rio para os próximos 20 anos. A Firjan cita dados do Plano Estadual de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro, indicando que a população nas principais bacias hidrográficas do Estado vai crescer 18%, enquanto a demanda por água para os mais diversos usos, mas especialmente para o abastecimento humano, vai crescer 41% nesse período. A Firjan adverte que "é preciso considerar que o estudo apresentado pelo Estado de São Paulo aponta nove alternativas de captação de água para a macrometrópole de SP. Aquelas que envolvem o Rio Paraíba do Sul não são nem as mais baratas, nem as que trarão mais água. O Estado do Rio de Janeiro não possui nenhuma alternativa ao Rio Paraíba do Sul. Nem agora, nem nos próximos 20 anos".
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.