20°/ 32°
Belo Horizonte,
01/SET/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Operação da PF prende empresário em Ribeirão Preto (SP)

Agência Estado

Publicação: 18/03/2014 19:01 Atualização:

Ribeirão Preto, 18 - A Polícia Federal (PF) de Ribeirão Preto (SP) prendeu, na noite desta segunda-feira, 17, o empresário Edmundo Rocha Gorini, fundador da empresa Smar, uma das maiores fornecedoras de equipamentos de alta tecnologia para automação industrial do País, a qual tem entre os clientes gigantes do setor de etanol, energia, petróleo e gás, como Petrobras, Cosan, Duke Energy e Pemex. Gorini estava foragido desde 17 de dezembro e foi preso por dois agentes da PF que faziam campana na casa dele, num bairro de alto-luxo na cidade do interior de São Paulo.

A operação levou o nome de "Califórnia Brasileira" como alusão à cidade do interior do Estado, onde o empresário foi preso. Segundo o delegado-chefe da PF em Ribeirão Preto, Lindinalvo de Almeida Filho, Gorini era considerado o "procurado número um" pela polícia e integra um grupo de sócios e ex-sócios da companhia que é acusado de vários crimes, entre eles formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e sonegação fiscal na importação e exportação de equipamentos. De acordo com a PF, a organização criou cerca de 30 empresas no Brasil e em 13 países, inclusive offshores, e teria desviado R$ 1,6 bilhão em 30 anos.

"O empresário chegou em casa por volta das 22h30 e saiu às 23h30 em seu carro. Dois policiais interceptaram o veículo, solicitaram a identificação e ele, apesar de reluta, disse quem era e foi preso", relatou o delegado. Gorini foi encaminhado à sede da PF de São Paulo após o interrogatório, no qual permaneceu em silêncio.

Ele tem prisão preventiva decretada e pode permanecer na cadeia até uma sentença do juiz. "O empenho agora está em prender o restante da quadrilha e já comunicamos a Interpol. Enquanto não prendemos todos os diretores da empresa procurados, a polícia não cessará a diligência", completou o delegado Almeida Filho. Os nomes seguem mantidos em sigilo por determinação judicial.

No entanto, a advogada do empresário, Maria Cláudia de Seixas, afirmou que já impetrou pedidos de habeas-corpus na Justiça Federal em São Paulo e em Brasília. "Ele estava foragido por conta do mandado de prisão. Estamos impetrando habeas-corpus e é isso que eu posso relatar porque o processo é sigiloso", afirmou a advogada.

Segundo a PF, as investigações da polícia em conjunto com a Receita Federal, duram desde 2011 e foram iniciadas pela Procuradoria Federal em Ribeirão Preto. Durante as diligências, no ano passado a polícia prendeu em flagrante funcionário da Smar pela prática do crime de contrabando e descaminho, ao ingressar no País com componentes eletrônicos sem pagamento de tributos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.