16°/ 30°
Belo Horizonte,
24/OUT/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dez alas da Vila Isabel tiveram atraso nas fantasias

Agência Estado

Publicação: 04/03/2014 02:37 Atualização:

Rio, 04 - A Vila Isabel, primeiro lugar no carnaval passado, fica no lucro se voltar no sábado das campeãs. A escola deixa para trás o desfile arrebatador de 2013 por uma apresentação recheada de problemas, a começar pelo atraso nas fantasias de pelo menos dez alas. Muitas não foram entregues. Outras chegaram pela metade em cima da hora do desfile.

Nem mesmo a rainha de bateria, Sabrina Sato, recebeu a roupa com antecedência. A fantasia de oncinha - uma segunda pele, que não fazia jus ao posto que ela ocupa - foi entregue por um motoboy, no camarote da Brahma, momentos antes de a escola entrar na avenida. "Eu estava tão nervosa. Mas carnaval é assim mesmo. No fim dá certo", minimizou. "Não compromete em nada".

Carros alegóricos estavam incompletos

Algumas alas desfilaram com ordens trocadas. A meia hora de a escola entrar na avenida, duas das cinco placas que compunham a comissão de frente não haviam chegado. Foram montadas às pressas e fizeram bonito efeito para representar xilografias se tornando tridimensionais.

Sem patrocínio, a escola enfrentou problemas financeiros desde o ano passado. O carnavalesco Cid Carvalho deixou a Vila em novembro por atrasos no pagamento de funcionários. Reassumiu em janeiro, quando as arestas foram aparadas. "Fizemos o que foi possível fazer. Trabalhamos, lutamos, fizemos um desfile lindo dentro das possibilidades", afirmou Carvalho.

A Vila apresentou enredo sobre a diversidade dos biomas brasileiros e as faces do povo. Trouxe de volta à avenida assuntos já batidos no sambódromo, mas sem inovações - aspectos do folclore brasileiro, a Floresta Amazônica, o sertão nordestino (as esculturas de Mestre Vitalino, que já haviam aparecido em carro da Mocidade, mais cedo, voltaram à passarela).

O grande trunfo da escola foi a emoção com que os componentes cantaram o samba. Muitos se emocionaram ao entoar os versos "o sangue azul tá na veia com certeza / o sangue e é minha natureza / é bom lembrar / tem que respeitar". Sabrina Sato também brilhou: com carisma, simpatia e samba no pé, conquista lugar entre as grandes madrinhas da Avenida Marquês de Sapucaí.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.