'Lepo Lepo' toma conta de Salvador e da internet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 01/03/2014 09:49

Agência Estado

Salvador, 01 - Há duas semanas, o jogador Neymar, do Barcelona, dançou uma nova coreografia ao marcar o sexto gol na vitória de seu time contra o Rayo Vallecano. A dancinha foi parar na internet e atiçou a curiosidade dos fãs do atacante, embora tenha até motivado críticas na Espanha.

Para os baianos - como o lateral Daniel Alves, nascido em Juazeiro, que ensinou a coreografia ao atacante -, porém, não havia nenhuma novidade. A dancinha era do pagode Lepo Lepo, da banda Psirico, disparada a canção mais tocada no verão da Bahia - e candidata natural ao título de música do carnaval de Salvador neste ano.

No Estado, até um comandante da PM já foi parar na internet ao ensaiar os passos. O Psirico se apresentou nesta sexta-feira (28) no Circuito Barra-Ondina, com uma homenagem a Nelson Mandela. A canção inaugurou uma nova fase da música baiana. Em uma contraposição bem-humorada ao funk ostentação, sucesso no Sudeste nas últimas temporadas, o Lepo Lepo surgiu como primeiro hit do apelidado "pagode-miséria".

Composta por Filipe Escandurras e Magno Sant'anna, a música relata, em ritmo que mescla pagode baiano e arrocha, a história de um cidadão que está sem dinheiro, com salário atrasado, que perdeu a casa e cujo carro foi tomado de volta pelo banco. Ele resolve contar a situação para a companheira.

"Agora vou saber a verdade, se é (por) dinheiro ou (por) amor (que ela está comigo)", diz a letra. "Se (ela) ficar comigo, é porque gosta do meu Lepo Lepo", conclui a canção, que no último fim de semana chegou à liderança de vendas no serviço iTunes Brasil.

"A música faz sucesso porque o povo se identifica com a situação descrita por ela", avalia Escandurras. "Encontrar alguém para ficar com você tendo dinheiro, tendo posses, é fácil. Achar um amor de verdade, que não dependa de bens, só na base do namoro, é que dá moral. Não precisa de carro, de casa. Precisa é fazer bem feito." As informações são do jornal

O Estado de S. Paulo

.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.