16°/ 30°
Belo Horizonte,
24/OUT/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Apesar de metas da polícia, violência cresce em SP

Agência Estado

Publicação: 25/02/2014 14:55 Atualização:

São Paulo, 25 - No primeiro mês de vigência do plano de bonificação para policiais com o objetivo de reduzir os principais indicadores de criminalidade em São Paulo, as metas trimestrais traçadas pelo governo ficaram longe de serem atingidas. Os números de roubo e de furto e roubo de veículos, que pela proposta deveriam parar de subir até março, cresceram em janeiro, na capital e no Estado. As mortes violentas - homicídios dolosos e latrocínios -, cuja meta é a redução de 7% no primeiro trimestre, estagnaram.

As estatísticas divulgadas nesta segunda-feira, 24, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) mostram que só na capital os roubos tiveram alta de 41,8% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2013: foram 13.416 casos, contra 9.463 no ano passado. No Estado, o índice cresceu 32,5%, de 20.371 casos em janeiro do ano passado para os atuais 26.987.

Embora já esteja em vigor, o plano que vai pagar até R$ 2 mil de bônus a policiais civis, militares e técnico-científicos que atingirem as metas ainda precisa ser aprovado pela Assembleia Legislativa. O projeto tramita nas comissões em regime de urgência.

O secretário Fernando Grella Vieira reconheceu a preocupação do governo com o aumento dos roubos, mas atribuiu o resultado de janeiro ao aumento das notificações por parte das vítimas. “Esse aumento dos roubos em todo o Estado precisa ser interpretado diante de um fato novo que passamos a viver desde novembro. A possibilidade do registro online de roubos. De lá para cá, esses registros feitos pela internet representam 31% do total de ocorrências.”

Entretanto, o número de roubos de veículos, que tem o índice de subnotificação muito baixo, de acordo com o analista criminal e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública Guaracy Minguardi, também aumentou. Na capital, a alta foi de 22,7%, chegando a 4.635 ocorrências no mês passado, ante 3.776 no mesmo período de 2013. No Estado, foram 9.221 registros, 20,8% a mais do que em janeiro do ano passado.

“O roubo de veículos é um crime em que quase não há subnotificação. Todo mundo dá queixa porque é um bem de alto valor e por causa do seguro”, disse Minguardi.

Ele ressaltou que o programa de metas não traz resultados tão rápidos. “Não acho que dê para mudar de uma hora para outra. Você tem de ter as metas e os meios, que seriam uma mudança estrutural. Mas isso demora cerca de dois anos para se consolidar.”

Homicídios.

Depois de fechar o ano passado em queda, o número de homicídios dolosos aumentou no Estado. Foram 422 homicídios em janeiro, o que representa alta de 1,2% em relação ao mesmo mês de 2013. Para Grella, a alta de homicídios não representa uma tendência. “É um ponto fora da curva. Nós estávamos, há nove meses, com queda, então vamos aguardar agora o comportamento nos próximos meses”, disse.

O número de latrocínios estagnou no Estado. Foram registrados, como em janeiro de 2013, 34 casos. Para o secretário, esse tipo de crime deve diminuir neste ano. “Na semana retrasada, tivemos a regulamentação da lei dos desmanches. Estamos convictos de que começaremos a experimentar uma redução gradual nos crimes de roubos a partir de junho (quando a lei entra em vigor)”, disse. As informações são do jornal

O Estado de S. Paulo.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.