Polícia joga gás lacrimogêneo em manifestação do MST em Brasília

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 12/02/2014 18:37

AFP /Agence France-Presse

A polícia disparou balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar cerca de 15.000 manifestantes que tentavam derrubar as barreiras de proteção em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, nesta quarta-feira.

Os manifestantes participavam de uma marcha organizada pelo Movimento dos Sem Terra (MST) para pedir rapidez na reforma agrária. O ato teria começado de forma pacífica.

Oito policiais e dois integrantes da marcha ficaram feridos depois que as duas partes entraram em confronto na frente do palácio presidencial, segundo informaram o MST e a polícia à AFP.

"Nós queríamos fazer um ato em frente à presidência. Montamos barracas iguais as que temos em nosso acampamento. Quando a polícia nos viu tirando as coisas do ônibus, nos atacou com gás lacrimogêneo e outras coisas", afirmou o porta-voz dos manifestantes.

A presidente Dilma Rousseff não estava no palácio no momento dos confrontos. Em seguida, os manifestantes se dirigiram ao Congresso Nacional, a poucos metros dali.

O Supremo Tribunal Federal (STF) - que fica do lado oposto ao Planalto - teve a sessão suspensa por uma hora por causa do grande número de manifestantes.

"Não houve tentativa de invasão do prédio do Supremo, mas por causa do grande número de pessoas a segurança recomendou suspender a sessão", disse um funcionário do STF à AFP.

O MST, que completa 30 anos de existência esta semana, organiza um congresso em Brasília e critica a "paralisação" da reforma agrária no país. O último encontro organizado pelo movimento aconteceu em 2007.

Um pouco antes, cerca de 700 crianças do MST ocuparam a entrada do ministério da Educação para pedir mais escolas nas zonas rurais.

Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.