Alckmin inaugura estação do Metrô e rebate atraso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 12/02/2014 12:49

Agência Estado

São Paulo, 12 - Após quatro anos e meio em obras e atrasos sucessivos, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), participou nesta quarta-feira da entrega da estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5-lilás do Metrô. Alckmin rebateu o atraso na obra e afirmou "que não havia como entregar em 2010 a estação, se as obras começaram no segundo semestre de 2009".

A estação ficará aberta nesta fase, chamada de visita assistida, de segunda a sexta, das 10h as 15h, com viagem gratuita até a estação Largo Treze. A estimativa é de que a operação comercial completa comece em abril. O governador afirmou que, em março, deve entregar mais duas estações: Vila Prudente e Oratório, da Linha 15-prata do monotrilho.

A estação Adolfo Pinheiro foi entregue após quase dois anos e meio da última inauguração do sistema metroviário - a última entrega ocorreu em 15 de setembro de 2011, quando foram abertas as estações República e Luz, da linha 4 - amarela.

A estação Adolfo Pinheiro possui mais de 4 mil metros quadrados e deverá receber diariamente cerca de 14 mil passageiros. Além de quatro elevadores especiais, a estação tem doze escadas rolantes "inteligentes", que economizam energia quando não há usuário.

Obras

O governador afirmou que há mais dez estações em obras atualmente e que já está em andamento o projeto funcional para construção de mais três estações até o Jardim Angela.

Segundo Alckmin, com a estação inaugurada hoje, o Metrô de São Paulo passa a ter 75,5 quilômetros de extensão e outros 57 km em obras. "Como a linha 6 que já está assinada, em breve teremos mais 16 km em obras", afirmou. "Teremos um Metrô funcionando e outro em obras."

Caos no Metrô

O governador disse que ainda não está descartada a hipótese de sabotagem no tumulto da semana passada na linha 3- vermelha do Metrô. Segundo ele, as investigações ainda estão em andamento. "O secretário (Fernando Grella vieira, da Segurança) está remetendo a investigação para a polícia técnico-científica e estamos acelerando a apuração", disse.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.