Diário Oficial publica desligamento de cubana do programa Mais Médicos

Ramona Rodriguez deixou a função que exercia no Pará por descordar das condições estabelecidas por Cuba. O governo brasileiro paga cerca de R$ 10 mil a profissionais de outras nacionalidades, mas os cubanos são remunerados com cerca de R$ 900

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 12/02/2014 10:02 / atualizado em 12/02/2014 10:12

Agência Brasil

Portaria do Ministério da Saúde publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União cancelou oficialmente o registro da cubana Ramona Rodriguez e desliga a profissional do Programa Mais Médicos. A cubana fica, portanto, impedida de exercer medicina no Brasil até que revalide seu diploma.

Reprodução/Facebook
Ramona trabalhava pelo Mais Médicos no município paraense de Pacajá, mas deixou o programa por não concordar que profissionais cubanos recebam US$ 400 (aproximadamente R$ 960) enquanto os demais participantes têm salário de R$ 10 mil. Nessa terça-feira, a Associação Médica Brasileira (AMB) contratou Ramona para exercer função administrativa na entidade, com salário de R$ 3 mil, além de vales-transporte e refeição e plano de saúde. Ao todo, a remuneração ficará em torno de R$ 4 mil.

Também ontem, o Ministério da Saúde informou que vai notificar 89 profissionais do Mais Médicos que deixaram de comparecer às unidades de atendimento à qual foram destinados. Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, os médicos terão 48 horas para manifestar se permanecem ou deixam o programa. Caso não cumpram o prazo, eles serão desligados.

A pasta deve divulgar nesta quinta-feira conjunto de regras para deixar claro o processo de abandono do programa, especificando como o município deve notificar o ministério e prazos para formalizar a desistência. Atualmente, o Mais Médicos conta com a atuação de 6.658 profissionais em 2.166 municípios e em 28 distritos indígenas. Com o encerramento do período de acolhimento dos médicos da terceira etapa, o programa deve receber mais 2.890 profissionais. A meta é chegar a 13 mil médicos até março.
Tags: