10°/ 20°
Belo Horizonte,
31/JUL/2014
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sabesp vai induzir chuvas no Sistema Cantareira

Agência Estado

Publicação: 11/02/2014 11:37 Atualização:

São Paulo , 11 - A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) vai gastar R$ 4,47 milhões para bombardear nuvens e induzir chuvas no Sistema Cantareira, cujo volume de água continua caindo e está com apenas 19,4% da capacidade nesta terça-feira, 11, o menor nível da história.

A contratação da empresa Modclima Pesquisa e Desenvolvimento Ltda. foi revelada pela reportagem na última sexta-feira, 7, mas o extrato do contrato só foi publicado no Diário Oficial desta terça, 11, um dia após a reportagem questionar o valor e prazo do serviço, que inclui monitoramento climático e registro e medição das chuvas induzidas.

O negócio com a ModClima foi fechado em janeiro com prazo até dezembro de 2015, o que indica uma preocupação da Sabesp com a duração da estiagem no Cantareira. O contrato anterior, de julho de 2009, tinha prazo de um ano e valor de R$ 1,2 milhão.

Ambos foram fechados sem licitação porque a empresa é a única do País que faz o bombardeamento sem uso de produtos químicos. A tecnologia permite a aceleração da precipitação de chuvas em um processo conhecido como semeadura de nuvens, no qual um avião solta gotículas de água na base das nuvens.

A Sabesp informou que até sexta-feira passada, a ModClima havia feito cinco voos na bacia hidrográfica das represas do Sistema Cantareira na região de Bragança Paulista que resultaram em duas precipitações, mas sem quantidade suficiente para contribuir com a elevação do nível de água do manancial.

Segundo a companhia, nos anos de 2003 e 2004, quando também ocorreu problema de estiagem, a Sabesp utilizou essa tecnologia com bons resultados. A reportagem questionou ontem, 10, dados atualizados do serviço, mas tanto a ModClima quanto a Sabeso não quiseram se manifestar.

De acordo com a medição da própria Sabesp, nos 11 primeiros dias de fevereiro, choveu apenas 2,1 milímetros no Sistema Cantareira - a média histórica do mês é de 202,6 milímetros. Em janeiro, o volume de chuva acumulado foi de 87,8 milímetros, diante de média histórica de 259,9 milímetros.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Marcio Correa Filho
Tô vendendo feijões mágicos... Algum político quer comprar??? Aceito até cartão bolsa família como pagamento!!! | Denuncie |

Autor: Marcio Correa Filho
Porque não contratam os indíos??? Eles tem dança da chuva e tenho certeza que é mais eficiente! | Denuncie |

Autor: Marcio Correa Filho
Dinheiro públuco = Dinheiro de ninguém! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.