Prefeitura do Rio incentiva uso de bicicleta para facilitar trânsito

No próximo fim de semana, está previsto o fechamento do Mergulhão da Praça XV, também no centro da cidade, e a implantação de mão dupla na Avenida Rio Branco, da Candelária até a Cinelândia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 09/02/2014 11:13

Agência Brasil

AFP PHOTO / ANTONIO SCORZA
A prefeitura do Rio faz, neste fim de semana, mais uma etapa de alterações no trânsito para dar seguimento às obras no centro e para o Projeto Porto Maravilha. Será feita a inversão de sentido da Avenida Rio Branco, entre a Candelária e a Praça Mauá. Ela é uma das principais vias da região. No próximo fim de semana, está previsto o fechamento do Mergulhão da Praça XV, também no centro da cidade, e a implantação de mão dupla na Avenida Rio Branco, da Candelária até a Cinelândia. %u201CO Rio de Janeiro está entrando na reta final das obras de revitalização do centro da cidade, as obras do Porto Maravilha e, nos dois próximos fins de semana, uma série de mudanças vai viabilizar o avanço das obras. Essas são mudanças de grande impacto para podermos avançar com as obras do Porto Maravilha%u201D, disse à Agência Brasil o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório. Para tentar reduzir os impactos das mudanças do tráfego nas ruas e avenidas do centro, a prefeitura está incentivando a utilização dos transportes públicos, a carona solidária, para evitar a circulação de carros com apenas um ocupante, e o uso de bicicletas. No domingo (16), serão inauguradas três novas rotas de ciclovias que ligarão o Museu de Arte Moderna (MAM) e o Aterro do Flamengo, na zona sul, à região central da cidade. Uma vai chegar ao Largo da Carioca, passando pela Avenida Graça Aranha. A outra alcançará a Cinelândia, pela Avenida Beira Mar. Quem quiser seguir para a Praça XV, poderá usar a terceira opção, cruzando a Rua Santa Luzia. %u201CNós acreditamos que, com isso, uma alternativa de deslocamento no centro da cidade possa ocorrer para aqueles que têm interesse em vir de bicicleta". Ele lembrou que hoje é difícil o acesso com bicicleta ao centro do Rio. Além disso, a prefeitura vai ampliar o sistema de aluguéis de bicicletas do Programa Bike Rio, que conta com 60 estações e 600 bicicletas. No centro, haverá 12 estações: na Rua Graça Aranha, no Largo da Carioca, na Avenida Nilo Peçanha, Avenida Almirante Barroso, no Fórum, na Marechal Câmara, Praça Rui Barbosa, no Paço Imperial, na ABL, no Aeroporto, MAM, Passeio Público e na Praça Mauá. Segundo o secretário, a expansão vai atingir também bairros como a Barra da Tijuca, o Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá e outros da zona norte. %u201CÉ todo um esforço da cidade do Rio para que a bicicleta possa ser uma alternativa atraente para pequenos deslocamentos%u201D, acrescentou. O secretário disse que tem mantido contato com administrações de prédios comerciais para a instalação de vagas para as bicicletas de pessoas que quiserem fazer esse tipo de transporte para o trabalho. %u201COnde você para um automóvel, pode parar de dez a 12 bicicletas. Outro incentivo que estamos fazendo é a criação de vestiários nas empresas de maior porte, de modo que a pessoa que anda de bicicleta no calor que faz no Rio, principalmente no verão, vai precisar se arrumar para começar a trabalhar%u201D, destacou. Para marcar o lançamento das novas ciclovias está prevista uma pedalada do MAM até o Buraco do Lume, no centro. Durante o passeio ciclístico, serão distribuídas camisetas e mapas informativos com o novo trecho cicloviário. %u201CO Rio de Janeiro é a cidade que tem a maior rede de ciclovias do Brasil. Nós temos, neste momento, um conjunto de ciclovias com mais de 300 quilômetros de extensão, e o objetivo da prefeitura é chegar a 2016 com uma rede de quase 500 quilômetros. Para isso, uma série de incentivos vem sendo feita no sentido da utilização da bicicleta não apenas para o lazer, esporte ou contemplação, mas também como meio de transporte de pequenas distâncias%u201D, completou.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.