Justiça decreta prisão do filho de Eduardo Coutinho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 03/02/2014 14:19 / atualizado em 03/02/2014 15:27

Agência Estado

A Justiça do Rio decretou, neste domingo, 02, a prisão preventiva de Daniel de Oliveira Coutinho, de 42 anos, acusado de ter esfaqueado o pai, o cineasta Eduardo Coutinho, de 81, e a mãe, Maria das Dores Oliveira Coutinho, de 62, no apartamento da família, na zona sul do Rio de Janeiro. A prisão foi decretada no plantão judiciário, pela juíza Nathalia Calil Miguel Magluta.

"A prisão mostra-se formal e materialmente legal, não sendo caso de relaxamento. Quanto à conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva, entendo que assiste razão à autoridade policial e ao Ministério Público, sendo, por ora, necessária a custódia cautelar do indiciado. Com efeito, à luz dos elementos informativos contidos na comunicação da prisão em flagrante do indiciado, entendo que sua prisão preventiva deve ser decretada para a garantia da ordem pública, da futura aplicação da Lei Penal e da futura instrução criminal, havendo diversas diligências policias ainda pendentes de realização com vistas à integral instrução da causa", escreveu a magistrada em sua decisão.

Ainda segundo a juíza, "segundo se extrai dos autos, o indiciado foi apreendido logo após confessar, na frente de vizinhos, ter desferido contra seus pais golpes de faca, levando a óbito seu genitor e deixando sua genitora em grave estado de saúde no hospital. Entendo que há necessidade de se resguardar a instrução, a fim de que as demais provas sejam colidas pela autoridade policial garantindo-se, ao final, a instrução criminal".

Indiciado por homicídio e tentativa de homicídio, Daniel Coutinho está internado no Hospital Miguel Couto sob custódia policial. Após o crime, ele tentou se matar com duas facadas no abdome. Um psicólogo da Polícia Civil deve ouvi-lo ainda nesta segunda-feira.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.