19°/ 30°
Belo Horizonte,
21/ABR/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Funcionários dos Correios entram em greve, mas direção garante funcionamento normal Mudança no convênio médico gera protestos. Empresa fez mudança sem avisar o TST, como prometido no ano passado

Agência Brasil

Publicação: 30/01/2014 17:29 Atualização: 30/01/2014 19:04

Funcionários dos Correios entram em greve por tempo ideterminado. Até o momento, dez estados e três regionais aderiram à paralisação, que começou às 22h dessa quarta-feira. Segundo nota da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), os empregados são contra mudanças no plano de saúde. Os Correios garantem que os serviços postais não foram afetados pela paralisação.

A greve foi decidida durante reuniões em Minas Gerais, no Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Piauí; no Amazonas, Paraná, Ceará, em Santa Catarina; em Pernambuco e na Paraíba; no Vale do Paraíba, em Campinas e São José do Rio Preto. Segundo a Fentect, nessas localidades a paralisação atinge de 65% a 70% da categoria. Estão marcadas assembleias até terça-feira (4), em Roraima, Bahia, Alagoas e Sergipe.

O desentendimento vem desde abril do ano passado, quando foi criado o Postal Saúde, caixa de assistência que, de acordo com a Fentect, representa a privatização do convênio médico, o Correios Saúde. Estimativa da Fentect é que a estrutura do Postal Saúde custe R$ 120 milhões, a serem bancados não pelos Correios, mas pelos empregados.

A diferença é que pelo convênio antigo, os funcionários pagavam de 10% a 20% do valor dos serviços utilizados, de acordo com o salário que recebiam. Pelo Postal Saúde, os preços aumentam e passa a ser cobrada uma mensalidade.

Acordo descumprido

No ano passado, os servidores entraram em greve em setembro por cerca de um mês. O caso foi julgado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) em outubro. Segundo a federação, ficou decidido que a empresa não implementaria a nova assistência sem consultá-la. No entanto, afirma que apesar da determinação do TST, os Correios iniciaram a migração a partir do dia 1º de janeiro.

"O salário base da categoria é R$ 1.084. Temos notícias de um trabalhador que pagou R$ 40 por um soro. Outro pagou R$ 132 por um exame necessário a uma cirurgia. Isso não acontecia", diz o secretário geral da Fentect, Edmar Leite.

Por causa do desacordo em torno do plano de saúde, a Fentect entrou com uma ação no tribunal, mas, segundo a entidade, o julgamento foi adiado quatro vezes. “Vamos lutar até o fim pelo benefício que conquistamos em 1985, após uma greve histórica de 30 dias”, diz o diretor da Fentect, James Magalhães.

Direção minimiza paralisação

Os Correios informaram, em nota, que todas agências estão abertas e que os serviços postais funcionam normalmente no país, com 96,12% do efetivo da empresa trabalhando, um total de 121.515 empregados.

A nota diz que “não há adesão significativa ao movimento” nas localidades em que as assembleias optaram pela paralisação. De acordo com a empresa, as assembleias contaram com a presença de 1,32% do efetivo. A estatal, no entanto, diz que está recorrendo a um plano de contingência para garantir o funcionamento normal das atividades.

Os Correios negam ter descumprido a determinação do TST em relação ao plano de saúde. “Todos os benefícios estão garantidos, incluindo dependentes cadastrados, porcentagem de compartilhamento, não cobrança de mensalidade ou tarifas, rede credenciada e cobertura de procedimentos entre outros”, diz a nota.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: sebastião costa
Pois é gente. politico que nem aparece ao trabalho, tem atendimento médico de graça; trabalhador, tem que pagar. Onde está a DEMÔNIO CRACIA? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.