12°/ 21°
Belo Horizonte,
28/JUL/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

D. Edmilson Caetano é o novo bispo de Guarulhos

Agência Estado

Publicação: 29/01/2014 17:07 Atualização:

São Paulo, 29 - A Diocese de Guarulhos tem um novo bispo, d.Edmilson Amador Caetano, de 53 anos, transferido nesta quarta-feira, 29,, pelo papa Francisco da Diocese de Barretos (SP), que dirigia desde 2008. É o terceiro bispo de Guarulhos nos últimos três anos. Ele sucede a d. Joaquim Justino Carreira, que morreu no cargo, em setembro do ano passado, vítima de câncer no fígado, aos 63 anos de idade. O bispo anterior, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, morreu em junho de 2012, de embolia pulmonar. Tinha 76 anos e já era bispo emérito ou aposentado.

D. Edmilson nasceu em São Paulo em 25 de abril de 1960. É religioso da Congregação de São Bernardo da Ordem Cisterciense, à qual pertence também o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal nomeado d. Orani João Tempesta. Ordenado padre em dezembro de 1985 e nomeado bispo de Barretos em janeiro de 2008, estudou Filosofia no Mosteiro São Bento em São Paulo e Teologia no Instituto Teológico Pio XI, também na Capital. É licenciado em Liturgia pelo Pontifício Ateneu Santo Anselmo, em Roma. Antes de chegar ao episcopado, d. Edmilson foi vigário paroquial em São Roque (SP), mestre de noviços, professor, prior e abade de mosteiros cistercienses.

A Diocese de Guarulhos alcançou projeção nacional em 2010, quando o seu então bispo d. Luiz Gonzaga Bergonzini liderou uma campanha, às vésperas das eleições, contra Dilma Rousseff e todos os candidatos do PT ao Congresso, acusando-os de serem defensores da legalização do aborto. Condenou também projeto de lei contra a homofobia e tomou posição contra o reconhecimento de união estável de homossexuais. Embora a Conferência Nacional dos Bispos Brasil (CNBB) não tenha assumido a campanha, d. Bergonzini teve apoio da presidência do Regional Sul 1, da Província Eclesiástica de São Paulo.

Bahia

O papa Francisco também nomeou bispo auxiliar de Salvador o padre Estêvam Santos Silva Filho, de 44 anos, do clero de Vitória da Conquista (BA), onde nasceu. Estudou Filosofia no Instituto Filosófico Nossa Senhora das Vitórias, em sua cidade, e Teologia no Instituto Coração Eucarístico de Jesus, em Belo Horizonte. Sacerdote desde 1995, fez cursos de Comunicação Social na Pontifícia Universidad Javeriana de Bogotá (Colômbia) e em São Paulo. Ultimamente, era pároco da igreja de Nossa Senhora das Cadeias, ecônomo arquidiocesano e formador no Seminário Filosófico da Arquidiocese de Vitória da Conquista.

A Arquidiocese de São Salvador da Bahia, primeira criada no País, já tinha três bispos auxiliares. Seu arcebispo, primaz do Brasil, é d. Murilo Krieger, que em 2011 sucedeu ao cardeal d. Geraldo Majella Agnelo, agora arcebispo emérito, que continua morando na cidade.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.