Alckmin relativiza números sobre criminalidade em SP

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 28/01/2014 13:49

Agência Estado

São Paulo, 28 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, relativizou nesta terça-feira, 28, os números sobre criminalidade no Estado divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Os dados mostram uma queda de 8% no total de homicídios, mas aumentos de 10,2% nos latrocínios; de 8,1% nos roubos e 10% nos roubos de carros.

Segundo Alckmin, no casos dos homicídios, São Paulo está abaixo do total de 10 por cem mil habitantes, segundo o padrão estabelecido pela Organização Mundial de Saúde. "Os latrocínios, temos que combater", disse. Os roubos de carros, de acordo com ele serão combatidos com trabalhos mais ostensivos. "Temos confiança de que vamos reduzir os crimes neste ano", disse.

Sobre os roubos de carros, o governador afirmou que, na proporção da frota de veículos do Estado, os roubos estão caindo. De acordo com ele, em 2002, a frota era de 12 milhões de veículos e os roubos eram de 1591 unidades por 100 mil e que hoje a frota é de 25 milhões e que os roubos são de 836 por cem mil.

"Não estamos satisfeitos, mas estão caindo", observou. De acordo Alckmin, a Lei do Desmanche vai ajudar a reduzir esse tipo de crime. A Lei do Desmanche determina que quem desmanchar um veículo tem que acompanhar as vendas e marcar as peças.

Ele também citou a Lei de roubos de cargas, segundo a qual o estabelecimento que for pego vendendo mercadorias frutos de roubo poderá até perder o alvará de funcionamento e o CNPJ.

O governador fez as declarações em breve entrevista que concedeu à imprensa após ter acompanhado a chegada do "Megatatuzão" à estação Eucaliptos da Linha 5-Lilás do Metrô, na Zona Sul da capital paulista.

O Megatatuzão, uma máquina projetada para escavar túneis nas obras do Metrô, partiu do Poço Bandeirantes no dia 11 de setembro do ano passado e percorreu 483 metros.

O túnel faz parte da extensão da Linha Lilás, entre o Largo Treze e a Chácara Klabin. A previsão do Metrô é de que o equipamento trabalhe 22 meses para concluir o túnel.